Jovens cristãos na Malásia
Jovens cristãos na Malásia

Há 63 anos, o Reino Unido concedia a independência à Malásia. Desde então, o país procura manter o equilíbrio no governo, elegendo representantes malaios e chineses nos principais cargos políticos.

Apesar de perseguirem os ideais de desenvolvimento econômico e a participação de todas as etnias nos diversos âmbitos sociais, a intolerância religiosa é forte na nação. Por isso, ela ocupa a 40ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2020.

Os principais afetados são os seguidores de Jesus que insistem em compartilhar a fé com outras pessoas. O cristão é considerado inferior, já que a nacionalidade malaia está ligada à fé islâmica.

Quando há uma conversão na Malásia, o “traidor” é denunciado às autoridades islâmicas e pode até ser expulso da comunidade onde vive. Além disso, os pais que encontraram Jesus podem perder a custódia dos filhos.

Possuir uma Bíblia na Malásia é um grande privilégio. Há algumas semanas, 23 novos convertidos foram surpreendidos com a palavra de Deus no idioma local. Após serem batizados, muitos se emocionaram com o presente e agradeceram com lágrimas nos olhos: “Obrigado! Isso significa tudo!”.

Apesar do livro sagrado estar disponível na Malásia, alguns cristãos não têm condições financeiras para comprar um. “Muitos deles nunca tinham visto uma Bíblia física, muito menos seguraram uma”, explicou um dos parceiros locais da Portas Abertas.

Porém, mais pessoas foram abençoadas com outros exemplares da palavra de Deus. “Obrigado pelas Bíblias. Conseguimos distribuir as duas caixas para muitas famílias aqui. Elas ficaram entusiasmadas em recebê-las”, compartilham os responsáveis pela distribuição dos presentes.

A empolgação alcançou as crianças, que também receberam a primeira Bíblia em mãos. Muitas começaram a ler e pedir ajuda dos colaboradores para encontrar os versículos que mais gostavam.

Os cristãos que ganharam a palavra de Deus terão os desafios de manter o livro bem escondido e viver conforme os ensinamentos dele, para que mais pessoas se acheguem a Jesus.

Fonte: Portas Abertas