Cristãos do Paquistão protestam contra a perseguição religiosa
Cristãos do Paquistão protestam contra a perseguição religiosa

À medida que o mundo passa por segurança alimentar e crises financeiras devido à pandemia de coronavírus, comunidades cristãs desfavorecidas na Ásia, especialmente no Vietnã e no Paquistão, estão sendo as mais atingidas, já que o governo e as agências de ajuda as discriminam devido à sua fé, segundo relatos.

No país comunista do Vietnã, no sudeste da Ásia, o governo nega ajuda alimentar a mais de 100 cristãos, incluindo crianças e idosos, segundo a Portas Abertas nos EUA , um ministério que ajuda cristãos perseguidos em todo o mundo.

“Vocês são cristãos e seu Deus cuidará de sua família!” autoridades disseram a 18 famílias cristãs, incluindo 107 pessoas, no norte do Vietnã. “O governo não é responsável por suas famílias!”

Um parceiro local da Portas Abertas, que não foi identificado por razões de segurança, disse: “Eles se esforçam para colocar comida em suas mesas e consomem seu arroz pouco a pouco todos os dias. Quando descobriram que o apoio do governo estava chegando ficaram muito felizes, mas depois descobriram que não estavam na lista porque são cristãos”.

Os cristãos frequentemente enfrentam ostracismo, ameaças, tortura e sentenças de prisão no Vietnã, cujo governo ateu não tolera nenhuma fé ou ideologia além do comunismo.

O regime comunista do Vietnã, que exige que seus funcionários usem um manual secreto de 600 páginas para reprimir a religião, teme o cristianismo, que envolve a construção de uma comunidade de crentes e promove o respeito pela dignidade humana. O governo vê a liberdade dos cidadãos de formar associações como uma ameaça ao seu poder, de acordo com a Federação Internacional dos Direitos Humanos.

O Vietnã é considerado o 21º pior país do mundo quando se trata de perseguição cristã na Lista Mundial da Perseguição 2020, da Portas Abertas.

“As estimativas indicam que aproximadamente 80% dos cristãos do país pertencem às minorias étnicas do país, como os Hmong, e enfrentam exclusão social, discriminação e ataques. Crianças cristãs de minorias étnicas são discriminadas nas escolas; suas necessidades médicas também são frequentemente negligenciadas. nem sequer têm permissão para frequentar a escola”, de acordo com a Portas Abertas.

No Paquistão, instituições de caridade muçulmanas estão excluindo os cristãos da distribuição de ajuda alimentar e de emergência, de acordo com o Vatican News , que citou a instituição de caridade católica internacional e a fundação Ajuda à Igreja que Sofre (ACN, sigla em inglês).

O Presidente Executivo Internacional da ACN, Thomas Heine-Geldern, disse que muitos cristãos ganham os salários mais baixos, trabalhando como assalariados, empregados domésticos, faxineiros ou funcionários de cozinha. “Todas essas áreas de emprego são precisamente as que foram mais afetadas pelo desligamento econômico”, disse ele após ser informado por Cecil Shane Chaudhry, diretor executivo da Comissão Nacional de Justiça e Paz da Conferência Episcopal do Paquistão.

“Muitos funcionários cristãos foram demitidos sem aviso prévio pelas famílias para as quais trabalham há anos”, acrescentou Heine-Geldern.

A Comissão dos EUA sobre Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF, sigla em inglês) também tomou nota da discriminação na distribuição de ajuda no Paquistão. 

“À medida que o COVID19 continua a se espalhar, as comunidades vulneráveis ​​do Paquistão estão lutando contra a fome e para manter suas famílias seguras e saudáveis. A ajuda alimentar não deve ser negada por causa da fé”, disse Anurima Bhargava, um comissário da USCIRF.

A Lista Mundial da Perseguição 2020 classifica o Paquistão como a quinta pior nação do mundo em perseguir cristãos. “Embora não tenha havido grandes ataques a bomba contra edifícios de igrejas no período de relatório da Lista Mundial da Perseguição 2020, dezenas de pequenos ‘ataques diários’ contra igrejas e cemitérios ocorrem”, diz o ministério.

Os cristãos são frequentemente alvejados pelas leis de blasfêmia do Paquistão, destinadas a proteger as sensibilidades islâmicas e pelos radicais que praticam violência e mataram dezenas de crentes nos últimos anos.

Folha Gospel com informações de The Christian Today