Deputados dos Estados Unidos apresentaram um projeto de lei que ameaça o livre exercício da religião e liberdade de expressão
Deputados dos Estados Unidos apresentaram um projeto de lei que ameaça o livre exercício da religião e liberdade de expressão

Homens que se identificam como mulheres e usam vestiários femininos. Adoção baseada na fé e agências de acolhimento necessárias para colocar as crianças com casais do mesmo sexo. Floristas e padeiros forçados a preencher pedidos para casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Críticos dizem que estes são apenas alguns dos resultados possíveis se a Lei da Igualdade for aprovada nos EUA.

Membros da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos apresentaram um projeto de lei que ameaça o livre exercício da religião e liberdade de expressão. 

A HR 5, conhecida como Lei da Igualdade, impõe amplamente a agenda LGBT e não isenta igrejas ou empregadores religiosos, organizações ou faculdades. Proíbe especificamente a promoção do livre exercício religioso como reivindicação ou defesa da agenda LGBT.

“Todo americano deve ser tratado com dignidade e respeito, mas nossas leis precisam proteger os direitos constitucionalmente garantidos que temos”, diz Greg Baylor da Alliance Defending Freedom (ADF) , uma organização cristã que defende a liberdade religiosa.

A ADF está atualmente lidando com casos em vários estados onde já existem leis como a Lei da Igualdade.

Se a Lei da Igualdade passar, diz Baylor, “veremos uma proliferação de casos em que cristãos e outros serão coagidos a violar suas crenças para cumprir tal lei”.

Ao apresentar o projeto, os legisladores democratas falaram em fazer da proteção de pessoas do mesmo sexo uma prioridade sobre outras liberdades constitucionais. 

“Não podemos permitir que as alegações de liberdade religiosa sejam usadas para discriminar um indivíduo LGBT”, disse o deputado David Cicilline (D-RI).

Ao exigir que coisas como agências de adoção baseadas na fé coloquem crianças com casais do mesmo sexo, os oponentes temem que casos de liberdade religiosa surjam em todo o país.

“Algumas das coisas na Lei da Igualdade são muito perturbadoras e alarmantes quanto ao que eles poderiam fazer para os valores cristãos neste país, por isso estamos certamente mantendo pulso firme sobre isso”, disse o deputado Jody Hice.

Folha Gospel com informações de CBN News