A escolha do governo quanto ao destino da Turquia impactará diretamente a vida dos crentes que vivem no país. O futuro dos irmãos que servem a Deus ali depende de um passo dado em direção à liberdade religiosa ou ao fundamentalismo islâmico. É urgente a necessidade de oração e intercessão para que as novas leis sejam favoráveis à prática cristã

Atualmente, a causa de inquietação entre os partidos da escrita da nova Constituição da Turquia aplica a questão da liberdade religiosa como um catalisador.

“Dependendo de quem ganhar essa batalha, certamente terá mais poder para movimentar o país: ou em direção a uma nação mais secular, semelhante a um país europeu/ocidental”, explica Rody Rodeheaver da IN Network, “ou a um país islâmico fundamentalista, como seu vizinho, Irã”.

O que essa decisão significa para os crentes turcos?

“Há grande perigo aqui, e em meio a tudo isso, vivem os cristãos”, disse ele.

Um ponto de controvérsia na liberdade de religião proposta é a educação: a saber, a cultura religiosa e Conhecimento de etnia (RCKE, sigla em inglês) são obrigatórios em todas as escolas públicas. Nestas aulas, as crianças devem memorizar partes do Alcorão, a história de Maomé e demais ensinamentos do Islã. Elas também são colocadas para participar de várias celebrações muçulmanas.

O curso contribui para que as crianças cristãs enfrentem a perseguição na linha de frente. Rodeheaver explica que uma visão comum do país é: “Se você é um turco, você é muçulmano.” Isto pode ser muito difícil para as crianças que precisam se encaixar na escola, porque o curso as obriga a revelar a sua fé, forçando-as a ficarem fora das demais atividades.

“Nosso diretor e seus filhos passaram por algumas experiências bastante dolorosas”, disse Rodeheaver. “As crianças eram ridicularizadas: ‘Vocês, cristãos, são todos apenas americanos disfarçados’,” contou ele.

Ore pelas crianças cristãs que enfrentam perseguição de seus colegas

Outra área impactada por esta decisão é sobre a adesão da Turquia à União Europeia (UE). Turcos são divididos primeiramente em dois grupos; alguns querem que a nação se junte à União Europeia e adote políticas seculares, enquanto outros querem que a Turquia se torne um país fundamentalmente islâmico. O interesse de a Turquia fazer parte da UE carrega a liberdade para os crentes.

“Se isso mudar, os cristãos perderão muito terreno político, o que pode se tornar muito perigoso para eles”, enfatizou Rodeheaver.

No entanto, uma pesquisa recente da Fundação de Pesquisa Educacional e Investigação Científica Turquia-Europa (TAVAK) mostra uma queda significativa entre os turcos que desejam aderir à UE. O estudo atribui essa queda ao apoio às crises econômicas nos Estados-Membros e autoconfiança entre os turcos que “eles podem se desenvolver sem a UE”.

Como o governo segue em direção à mudança, há uma necessidade desesperada de oração. Clame a Deus pela segurança dos crentes na Turquia.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]