O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), recebeu pelo menos R$ 500 mil de propina por intermédio da Igreja Evangélica Assembleia de Deus.

A informação consta na denúncia entregue pela Procuradoria Geral da República ano Supremo Tribunal Federal, na qual Cunha foi denunciado.

De acordo com a PGR, representantes da igreja procuraram o ex-consultor da Camargo Corrêa e da Toyo Setal Julio Camargo e informaram os dados bancários da igreja. Segundo o Uol, as empresas de fachada operadas por Julio teriam feito três depósitos na contra da igreja em 31 de julho de 2012.

Para a PGR, “não há dúvidas” de que as transferências dizem respeito a parte dos US$ 5 milhões que Julio pagou a Cunha de propina. A procuradoria enfatizou ainda que a relação entre Cunha, que é evangélico, e a igreja é “notória”.

“O diretor da referida Igreja perante a Receita Federal é Samuel Cássio Ferreira, irmão de Abner Ferreira, pastor da Igreja Assembleia de Deus Madureira, no Rio de Janeiro, que o denunciado frequenta.”

Além de Cunha, a prefeita de Rio Bonito (RJ), Solange Almeida (PMDB) também foi denunciada por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Cunha foi citado na relação premiada de Julio Camargo.

[b]Fonte: Brasil Post[/b]

Notícia relacionada:

[url=https://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=30748] – Eduardo Cunha é alvo de denúncia da “lava jato” no STF[/url]