Cristãos egípcios pedem nossas orações por seu país após a destituição de Mouhamed Mursi do cargo de presidente. Terça-feira (02/07), o Conselho de Igrejas egípcio emitiu um comunicado em apoio ao ultimato do Exército a Mursi e a outros líderes políticos.

Muitos cristãos têm recebido positivamente os acontecimentos recentes. Eles observam que os protestos, no qual um número estimado de 17 milhões de pessoas participou, foram esmagadoramente pacíficos e ordeiros, embora a limitada violênciatenha levado à morte algumas pessoas. Os cristãos, assim como a maioria dos egípcios, desejam viver em um país onde a dignidade e a justiça sejam defendidas por e para todos.

Nas últimas semanas, extremistas ameaçaram atacar propriedades da Igreja se cristãos participassem das manifestações. Na quarta-feira (03/07), na Paróquia Católica Copta de St. George, em Delga, na província de Minya, a casa de hóspedes da igreja e a casa do padre Ayoub foram saqueadas e incendiadas. Houve um ataque similar em outra paróquia em Marsa Matrouh. No entanto, a polícia chegou rápido a fim de dispersar a multidão violenta. Nas últimas semanas, têm ocorrido sérios ataques, dirigidos a outras minorias religiosas. Quatro muçulmanos xiitas foram assassinados em Giza, no dia 23 de junho.

Além da turbulência política e dos temores de mais violência, o Egito também enfrenta sérios desafios econômicos, incluindo a manutenção de fornecimento de alimentos básicos e de combustível a preços acessíveis.

Cristãos egípcios clamam por orações para que:

O Egito seja governado para o benefício de todos os cidadãos, com pessoas de diferentes convicções capazes de viver lado a lado e em paz;
Os princípios bíblicos de servo-liderança sejam vividos pelos novos líderes;
Haja uma proteção eficaz para a igreja e suas propriedades contra ataques de extremistas, e que seja estabelecida a regra efetiva da lei e da ordem para o benefício de todos os cidadãos;
Haja fontes sustentáveis para suprir as necessidades básicas de todos;
Os cristãos egípcios desempenhem um papel cada vez mais proeminente e eficaz no atendimento às necessidades naturais, emocionais e espirituais de todos os egípcios.

[b]Fonte: Middle East Concern e ANAJURE[/b]