Placa indica banheiro de 'gênero neutro', também conhecido como banheiro de uso transgênero. (Foto: REUTERS/Lucy Nicholson)
Placa indica banheiro de 'gênero neutro', também conhecido como banheiro de uso transgênero. (Foto: REUTERS/Lucy Nicholson)

Uma escola de ensino médio em Wisconsin, nos EUA, fechou seu banheiro com gênero neutro (ou transgênero) depois que um estudante de 18 anos foi preso por agressão sexual no quarto grau, sedução de crianças e expor seus órgãos genitais a uma criança dentro da instalação.

Austin Sauer, um estudante da Rhinelander High School, foi preso na semana passada, de acordo com o Gabinete do Xerife do Condado de Oneida.

De acordo com a lei de Wisconsin, um ataque sexual de quarto grau envolve contato sexual não penetrante com uma pessoa sem o seu consentimento.

Os relatos da mídia não identificaram o sexo da vítima menor, mas a criança provavelmente é uma menina.

A capitã Terri Hook, do escritório do xerife, disse que o banheiro de gênero neutro já foi fechado e que a escola não enviou uma mensagem aos pais porque foi um incidente isolado e o estudante foi expulso da escola.

O escritório do xerife também disse que o abusador não havia sido acusado e a investigação ainda estava em andamento.

Em maio passado, a Suprema Corte dos EUA se recusou a ouvir um desafio à política de um distrito escolar da Pensilvânia de permitir que os alunos usem banheiros e vestiários que correspondam à sua identidade de gênero e não ao sexo biológico.

A Alliance Defending Freedom (ADF), um escritório de advocacia conservador que representa um grupo de estudantes processando o distrito escolar por causa da política, denunciou a negação do recurso pela Suprema Corte. O advogado sênior do ADF e o vice-presidente de defesa de apelações, John Bursch, disseram acreditar que a decisão ignorou os direitos de privacidade dos estudantes.

Folha Gospel com informações de The Christian Post