Estudantes em sala de aula (Foto Canva Pro)
Estudantes em sala de aula (Foto Canva Pro)

Um estudante do ensino médio de Michigan, estado no centro-oeste dos EUA, que supostamente foi suspenso por chamar a homossexualidade de “pecado” e por não relatar as piadas inapropriadas de seus colegas de classe entrou com uma ação federal na semana passada, alegando que as ações da escola violavam seus direitos constitucionais.

David Stout, um calouro da Plainwell High School em Plainwell, Michigan, foi suspenso por três dias no outono passado por supostamente violar a política de bullying/cyberbullying/assédio da escola.

Stout, porém, diz que estava apenas declarando humildemente suas crenças cristãs e que a conversa foi privada. Stout é um membro do time de futebol e da banda.

O Great Lakes Justice Center, formado por um grupo de advogados, que entre outras coisas, defende a liberdade religiosa, está representando a família.

“O discurso e as crenças religiosas do meu cliente devem ser tratados com tolerância e respeito”, disse David A. Kallman, consultor jurídico sênior do Great Lakes Justice Center. “As escolas públicas não podem violar a constituição e impor o veto do discurso dos alunos. Nada que David fez causou qualquer perturbação ou problema na escola. Ele tem o direito de expressar sua opinião de acordo com suas crenças religiosas sinceras, sem difamação ou punição do governo por manter essas crenças”.

A controvérsia começou em abril de 2021, quando Stout se envolveu em uma conversa fora do campus com um amigo que lhe perguntou seus pensamentos sobre um colega de classe “ser gay”.

“O demandante afirmou que a Bíblia ensina que a conduta homossexual é pecado e no contexto cristão que Deus criou apenas dois gêneros biológicos – homem e mulher”, diz o processo . “O queixoso afirmou que, embora a conduta homossexual seja um pecado, no entanto, todos são pecadores devido a escolhas de livre arbítrio, e ele oraria para que eles ‘se arrependam e sigam a Jesus’. Ele também compartilhou que estenderia amor a eles porque ‘Deus ordena’, pois ‘Jesus morreu na cruz por eles e estende Seu amor a eles, e tudo o que eles precisam fazer é aceitá-lo’”.

O amigo de Stout ficou ofendido com suas crenças e acabou encerrando a conversa.

Essa conversa e um incidente em um acampamento de bandas formaram a base da suspensão da escola, diz o processo. O episódio do acampamento da banda ocorreu em julho de 2021, quando dois membros calouros da banda começaram a contar “piadas” raciais e homofóbicas impróprias e imaturas alto o suficiente para todos ouvirem. Stout riu da primeira piada, após a qual ele “declarou educadamente, mas com firmeza, que eles precisavam parar”. Quando eles continuaram, ele disse, de acordo com o processo: “Basta! Você precisa parar!” Funcionários da escola culparam Stout pelas piadas porque ele é um líder de seção, diz o processo.

Enquanto isso, o diretor da banda supostamente disse a Stout que ele “deve parar todas as conversas sobre suas crenças religiosas com outros alunos, porque se algum aluno os ouvir, eles podem se sentir ofendidos e inseguros”, diz o processo.

Stout está pedindo ao tribunal que declare as ações da escola inconstitucionais e ordene que a escola limpe seu registro. Ele é representado no tribunal por seus pais.

Ele nunca havia sido punido, suspenso ou expulso antes do incidente, diz o processo.

“As mensagens e conversas privadas de texto/chat do demandante expressando suas opiniões pessoais e religiosas sobre a conduta homossexual estavam enraizadas na doutrina religiosa histórica”, diz o processo. “… O demandante é um cristão, que adere aos ensinamentos da Bíblia e é moralmente obrigado a seguir o ensino moral universal e consistente da fé cristã. Além disso, o Autor encontra sua dignidade, identidade pessoal e autonomia no exercício de suas crenças religiosas cristãs sinceras”.

O pai de Stout, David J. Stout, defendeu seu filho.

“Sempre ensinamos nosso filho a respeitar a opinião de todos e a ser educado com os outros, como ele estava aqui”, disse o pai em comunicado. “No entanto, a tolerância é uma via de mão dupla. David tem o direito de expressar adequadamente sua fé e crenças sem ser disciplinado e suspenso pelas escolas de Plainwell. Acreditamos que o tribunal defenderá os direitos constitucionais de David e seu histórico escolar será limpo”.

Folha Gospel com informações de Christian Headlines

Comentários