Segundo a nota publicada na revista Veja, a intenção é realizar uma manifestação no Rio de Janeiro na véspera da chegada do papa.

Líderes das maiores igrejas evangélicas do país estariam se organizando para reunir mais de 1 milhão de pessoas contra os gastos públicos com a visita do papa Francisco ao Brasil durante a Jornada Mundial da Juventude, estimados em 120 milhões de reais.

De acordo com nota publicada na revista Veja, a intenção dos líderes evangélicos é realizar uma grande manifestação no Rio de Janeiro no fim de semana de 20 e 21 de julho, véspera da chegada do líder católico à cidade.

Em sua coluna no site da revista, o jornalista Ricardo Setti afirma que a presidente Dilma estaria disposta a receber lideranças evangélicas para discutir a situação, por não saber o que poderia oferecer para evitar o protesto.

Os gastos apenas do governo federal com o evento estão estimados em cerca de R$ 62 milhões, sendo que R$ 30 milhões serão destinados às ações para garantir a segurança do líder religioso. Para tal será destacado um efetivo de 10.700 homens, a maioria destes integrantes das Forças Armadas.

Porém, líderes evangélicos já se levantam contra a notícia publicada pela revista classificando-a, inclusive, como uma tentativa de criar uma “guerra santa” no país. Em nota oficial, o pastor Abner Ferreira, presidente da Assembleia de Deus em Madureira, classifica a notícia publicada pela Veja de “mentirosa”.

O líder da AD Madureira, considerada uma das principais igrejas evangélicas do Rio de Janeiro, afirma que nunca foi procurado por qualquer líder cristão para organizar o que para ele é uma “tamanha sandice”.

– Somos contra a manifestação que vise perpetuar qualquer tipo de discriminação, preconceito ou intolerância religiosa. – afirmou o pastor.

– Engana-se quem pensa que vai nos usar para estabelecer uma guerra santa no Brasil – ressaltou o pastor, que ressalta ainda que o líder católico é “bem vindo” ao país, principalmente se tiver como objetivo falar contra o aborto de o casamento gay.

– Se o Para Francisco vem ao Brasil para protestar contra o aborto, contra o casamento de pessoas do mesmo sexo, contra a descriminalização das drogas e a favor da liberdade de expressão e de culto, seja bem vindo – finalizou Ferreira.

[b]Fonte: Gospel+[/b]