Ao se recusarem a organizar um festival religioso três famílias evangélicas pertencentes a uma igreja pentecostal chamada “Igreja de Deus de Profecias do Santuário de Cristo” foram expulsas da Comunidade de Tlalpa de Tenango Tepeshi, no México.

Estabelecida em 1982, a igreja é a mais antiga na região. O conflito começou quando o pastor, José Gonzáles e dois outros colegas evangélicos foram designados para as tarefas relacionadas às celebrações locais. Ao perceberem que a festa teria bebedeira, ou seja algo contra a Palavra de Deus, eles optaram por deixar os postos e não participar da organização.

Em seguida, um grupo com mais de cem pessoas, juntamente com o presidente da comunidade, se reuniu ao redor da casa do pastor e os obrigou a saírem da cidade. Na ocasião, estavam o líder religioso, sua esposa Francisca, e os sete filhos, uma das crianças é um bebê de apena um ano de idade. Eles tiveram que carregar todos os seus pertencentes em um caminhão e ir embora.

Os amigos evangélicos da família Nicolás González Pérez e Armando Morales Dircio, decidiram notificar a expulsão para as autoridade e tiveram o mesmo destino. Foram interrompidos no caminho por tradicionalistas católicos que mostrando-se bastante revoltados os forçaram da mesma maneira a irem embora. Juntamente com suas famílias, eles também foram levados para fora da cidade e abandonados com o pastor José Gonzáles.

Esta não foi a primeira vez que evangélicos são expulsos da comunidade. O primeiro grupo de cristãos foi forçado a escolher entre seguir as tradições determinadas pelas autoridades ou deixar a região. Eles optaram por sai, porém hoje tentam recomeçar suas vidas em Tlapa.

Após a expulsão, alguns pastores procuraram dialogar com os moradores de Tenango Tepeshi, para tentar fazer com que os irmãos conseguissem retornar à sua comunidade.

Entretanto, eles não receberam resposta. Quando as autoridades locais souberam da expulsão, os membros da comunidade negaram que o motivo fosse a crença religiosa. Segundo eles, o motivo foi a falta de cooperação com os benefícios locais.

Porém, de acordo com os evangélicos eles contribuíram com todas as taxas requeridas e que concordavam em cooperar com as questões da comunidade, mas não participariam dos festivais.

Atualmente, eles vivem em uma igreja em Tlapa de Comonfort, e se mostram seguros. Afirma que esperam e confiam em Deus.

Embora ainda tenham esperanças de retornarem às suas casas, eles sabem que isso é muito pouco provável. Mas, afirmam estar alegres, pois estão sofrendo por causa de Cristo. “ Bem-aventurados sois quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa”.

Fonte: Elnet