Fernandinho Beira-Mar
Fernandinho Beira-Mar

Sérgio Ramalho
Colaboração para o UOL, no Rio

Jesus Cristo foi o escolhido do então universitário Luiz Fernando da Costa como tema do trabalho de conclusão do curso em teologia nas Faculdades Batista do Paraná.

Formado à distância após 3.440 horas de aulas, o teólogo Fernandinho Beira-Mar – como é conhecido um dos maiores traficantes de drogas e armas do país – reprova no texto a globalização, o capitalismo e o consumismo.

Porém isso não o impede de transformar o trabalho acadêmico em seu primeiro livro, que será vendido em seu site, juntamente com canecas, capas de celulares e camisetas.

“Infelizmente, no mundo atual, globalizado, capitalista, consumista e com todas as facilidades e rapidez oferecidas pela internet, muitos acreditam, falsamente, que felicidade consiste em possuir bens materiais, assim como poder e fama”, descreve o teólogo Beira-Mar num trecho da monografia, que lhe garantiu o título de bacharel com nota nove.

O “Pablo Escobar brasileiro”, como foi chamado pela imprensa colombiana ao ser preso num acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no país vizinho, em 2001, não pôde comparecer à colação de grau no campus da Faculdades Batista do Paraná em Curitiba.

Na declaração anexada ao TCC, Beira-Mar deixou em branco o campo destinado a explicar o motivo da ausência na formatura que aconteceu em 30 de agosto passado.

Preso atualmente em Mossoró (RN), Beira-Mar completou o curso à distância, inclusive usando a internet em computadores nas unidades federais, monitorados para evitar comunicação com o mundo exterior.

A rotina de isolamento imposta pelo Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), entretanto, não impediu que o traficante continuasse à frente dos “negócios” ilegais, como mostrou investigação da Polícia Federal, em maio de 2017.

À época, preso na Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia, ele alternava estudos de teologia com as atividades criminosas.

As investigações confirmaram que, mesmo atrás das grades, o criminoso diversificou sua atuação em 13 comunidades de Duque de Caxias (RJ) por meio de uma rede de contatos formada por familiares, advogados e aliados. A partir da Favela Beira-Mar, reduto do traficante na Baixada Fluminense, o bando tinha lucro mensal de cerca de R$ 1 milhão.

Alfinetada nos pastores

De volta à monografia “Jesus Cristo: Exemplo de Vida e Fonte de Sabedoria”, o teólogo Beira-Mar reprova o emprego dos ensinamentos de Cristo como trampolim para conquistar dinheiro e poder. Num trecho do TCC, o traficante escreve: “A falta de cultura bíblica do povo e a facilidade encontrada nas palavras das atuais ‘Teologia da Prosperidade e no Movimento Carismático’ colaboram para que cada vez mais, pastores, acadêmicos e estudiosos se utilizem da cultura cristã moderna, que é falha em conhecimento, direcionando-a aos seus interesses”.

Base da doutrina aplicada por parte da igrejas neopentecostais, a teologia da prosperidade defende que a bênção financeira é o desejo de Deus para os cristãos e que as doações para os ministérios cristãos vão resultar no aumento da riqueza material do fiel. “Jesus foi um grande problema para a classe dominante de seu tempo e ainda O é. Cristo era um Homem que levava sua Palavra sem se preocupar com estabelecimentos, pregava em montes, praias, cidades e templos, levando o Reino de Deus aos que necessitavam, sem prometer a fortuna na terra, e sim a fé, a caridade e o amor”, completa o teólogo Beira-Mar, sem citar nomes, mas numa clara espetada nos líderes religiosos que fizeram fortuna graças às doações.

De acordo com o site das Faculdades Batista do Paraná, o curso Bacharelado em Teologia a distância é direcionado a “pessoas que procuram se aprofundar no aprendizado das Escrituras, a líderes que querem se preparar para atender ao chamado de uma vida eclesiástica, também para aqueles que querem se especializar como docente na área Teológica, e pessoas, no geral, que desejam melhorar sua qualificação para o trabalho em suas comunidades religiosas”.

Fonte: UOL