Geração Z são pessoas pessoas de 13 a 25 anos.
Geração Z são pessoas pessoas de 13 a 25 anos.

As gerações mais jovens são menos propensas a ver um conflito entre fé e ciência, ou uma crença na evolução e em Deus, de acordo com um novo estudo importante na Grã-Bretanha.

A geração Z com idades entre 16 e 24 anos também é mais propensa do que qualquer outra faixa etária a apreciar a contribuição da religião para as discussões sobre ética, segundo o estudo Theos.

Analisando os dados do YouGov, Theos descobriu que a Geração Z é mais propensa do que outras faixas etárias a pensar que a religião tem um lugar no mundo moderno – 57% da Geração Z em comparação com 47% da Geração Y e da Geração X.

Mais de um terço da geração Z (37%) acha que ciência e religião são compatíveis – em comparação com 30% do público britânico e 26% da geração X.

Quase dois terços (64%) acham que é possível acreditar tanto em Deus quanto na evolução – pelo menos 10% a mais do que qualquer outra faixa etária.

Mais de dois terços (68%) disseram que era possível ser religioso e um bom cientista – também 10% superior a outras faixas etárias.

A maioria (62%) discordou que a religião não tem nada de útil a dizer sobre ética – muito mais do que Millennials (53%), Gen X (45%) e Boomers (53%).

Mais de três quartos (79%) disseram que havia evidências fortes e confiáveis ​​para a teoria da evolução, enquanto quase metade (44%) discordou que a ciência será capaz de explicar tudo um dia.

Comentando os resultados, Theos disse que eles sugeriram que as gerações mais jovens têm uma “perspectiva mais equilibrada” quando se trata da relação entre ciência e religião.

Nick Spencer, membro sênior da Theos, diz que “Nossa pesquisa revelou que o debate entre ciência e religião foi distorcido ao ser visto através de algumas lentes estreitas – como evolução versus criação ou Big Bang versus Deus.

“Há uma conversa muito mais rica a ser realizada e nossas entrevistas com especialistas e com o público em geral, principalmente os mais jovens, sugerem que estamos indo na direção certa”.

Chris Done, professor de Astrofísica e Física Teórica (Universidade de Durham), disse: “Acho que o estudo mostra que há muito menos conflito para quem teve que pensar um pouco sobre isso, seja um cientista praticante ou um membro praticante de uma comunidade de fé.”

Folha Gospel com informações de The Christian Today

Comentários