Panfleto de uma parte conservadora da igreja inclui o PT e o PSB entre os “os doze fatais” que “ameaçam o futuro do país”.

A nova cruzada Uma ala conservadora da Igreja Católica deflagrou ofensiva contra Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB).

Panfleto do grupo Pró-Vida, com sede em diversos Estados, inclui seus partidos entre “os doze fatais” que “ameaçam o futuro do país”.

Sem citar as presidenciáveis, o texto afirma que todo candidato do PT trabalha pela descriminalização do aborto e que o PSB quer extinguir escolas ligadas à igreja. Segundo envolvidos, o grupo quer distribuir um milhão de cópias no Nordeste.

Ao menos três bispos, de São Paulo, Rio e Goiás, têm ligação com o Pró-Vida. Dom João Wilk, de Anápolis (GO), onde panfletos já foram distribuídos, diz que a Diocese não tem responsabilidade pelo texto, mas afirma conhecer o documento.

Em 2010, dom Luiz Gonzaga Bergonzini, bispo emérito de Guarulhos (SP), pregou o boicote a Dilma e rodou 2,1 milhões de panfletos contra o aborto. A CNBB criticou a ação. O religioso morreu há dois anos.

Além de PT e PSB, o panfleto do Pró-Vida recomenda que os católicos não votem em outros partidos de esquerda, como PCB e PDT. O PSDB não está na lista. A campanha do tucano Aécio Neves afirma não ter vínculo com o grupo.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]