Protestos na Venezuela
Protestos na Venezuela

Caracas – EFE

A Conferência Episcopal Venezuelana (CEV) pediu nesta quinta-feira às Forças Armadas do país que permitam a entrada da ajuda humanitária solicitada pelo Parlamento e que está retida na fronteira com a Colômbia por ordem do governo de Nicolás Maduro.

“Convidamos as Forças Armadas da Venezuela a ficarem do lado do povo ao qual pertencem. Não devem cumprir ordens que atentem contra a vida e a segurança da população. Nestas circunstâncias, devem permitir a entrada e a distribuição da ajuda internacional”, disse em comunicado a CEV.

No texto, a Igreja afirma que a população venezuelana precisa da ajuda humanitária ao lembrar as deficiências que existem “em matéria de alimentação, saúde e direitos humanos” e, nesse sentido, afirma que o “regime tem a obrigação” de facilitar a entrada e distribuição das doações.

O governo de Nicolás Maduro rejeita a ajuda argumentando que pode derivar em uma invasão estrangeira, que são doações “podres” e por isso ordenou o bloqueio da fronteira com a Colômbia.

Além disso, Maduro também determinou o fechamento da fronteira com o Brasil, que valerá a partir das 20h (horário local, 21h em Brasília) desta quinta-feira.

No entanto, o chefe do Parlamento, Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino da Venezuela há quase um mês com o apoio de vários países, insiste que as doações entrarão no país neste sábado e, para isso, viajou até a fronteira com a Colômbia.

Fonte: EFE