A fachada do prédio da Igreja de São Martini, em Bremen (Alemanha), em 7 de março de 2021. / Facebook St. Martini Gemeinde Bremen
A fachada do prédio da Igreja de São Martini, em Bremen (Alemanha), em 7 de março de 2021. / Facebook St. Martini Gemeinde Bremen

A Igreja St. Martini, vinculada à Igreja Evangélica na Alemanha (EKD, na sigla alemã) sofreu um vandalismo no dia 7 de março.

A polícia investigou a ação e estava em busca de testemunhas do vandalismo onde extintores de incêndio do prédio da igreja também foram desviados.

A Igreja Protestante de St. Martini é bem conhecida na Alemanha porque segue uma teologia evangélica conservadora .

Seu pastor principal, Olaf Latzel, foi condenado em novembro de 2020 a uma multa de 8.100 euros por discurso de ódio contra homossexuais . Uma gravação em vídeo de um seminário sobre casamento mostrou como Latzel usou termos insultuosos para se referir a ativistas LGBT, bem como descreveu sua ideologia como “demoníaca”.

O pastor apelou da sentença judicial, mas a Igreja Protestante Alemã de Bremen ( BEK – EKD), à qual pertence St. Martini, suspendeu provisoriamente o ministério do pastor Latzel , argumentando que era um mau testemunho para a sociedade que um de seus ministros foram condenados por discurso de ódio.

O BEK agora condenou o ataque contra a igreja de St. Martini, dizendo: “Em uma democracia, essas não são formas legítimas de expressar opiniões” .

Esta não é a primeira vez que a Igreja de São Martini é alvo de radicais. Em abril de 2020, um grupo usou grafite para escrever mensagens de ódio na vitrine da porta e da janela da igreja. Tentativas de hackear o site da igreja também foram relatadas.

Folha Gospel com informações de Evangelical Focus