As igrejas norte-americanas tem tido um papel fundamental em ajudar vítimas do frio como desabrigados ou quem sofreu algum prejuízo.

Com temperaturas extremamente baixas, que variam entre -6°C e -10°C, em um frio congelante de inverno no leste e no sul dos Estados Unidos, as igrejas norte-americanas têm tido um papel fundamental, ao oferecer abrigo e assistência para desabrigados ou quem sofreu algum prejuízo.

[img align=left width=300]http://images.christianpost.com/portugues/middle/56514/tempestade-de-neve.jpg[/img]Junto com as temperaturas mínimas, o “ar ártico perigosamente frio” tem causado muita preocupação, com a previsão de congelamento rígido, e incidentes como as cerca de 15 mortes atribuídas pelo frio, além de 500 pessoas presas em um trem em Illinois, segundo o canal CNN.

Nestas condições, as igrejas abrem suas portas, para receber e ajudar as vítimas do ambiente quase que glacial, com a aval do corpo de bombeiros local, sobretudo durante os horários em que o clima se agrava, entre a noite e o começo da manhã.

Em algumas localidades, como no Centro Comunitário de Fé em Lafayette, estado de Indiana, onde 56 pessoas ficaram presas em um ônibus, a congregação ofereceu abrigo às vítimas, além de conceder toalhas limpas e lanches.

O diretor dos ministérios da comunidade, Andre Ballard, destacou que o trabalho tem sido cansativo, mas gratificante, ao ver o alívio das pessoas que recebem o resgate. “Eu posso precisar de um pouco mais de café [para acabar com o sono]. Mas é ótimo estar a postos para atender em qualquer necessidade”, resume Ballard.

Já em Sioux City, no estado do Iowa, uma missão evangélica esteve presente para abrigar pessoas que não tinham onde dormir. “É bom saber que as pessoas não estão dormindo debaixo de uma ponte”, afirmou Robert Cowan, há vários anos a serviço da missão.

Para amenizar a situação, o The Weather Channel, canal especializado em meteorologia, relatou que as temperaturas ao menos devem voltar a subir durante o próximo fim de semana, atingindo máximas entre 4°C e 10°C.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]