Cristãos perseguidos na Indonésia precisam do apoio da igreja livre para serem encorajados e ficarem firmes na fé
Cristãos perseguidos na Indonésia precisam do apoio da igreja livre para serem encorajados e ficarem firmes na fé

Os indonésios Said*, de 60 anos, e a esposa, Marsinah*, de 54, receberam Jesus como Senhor e Salvador no começo de 2019. Eles são de uma família muçulmana.

Depois de aprender o máximo que puderam sobre a nova fé, evangelizaram o filho, Ridho*.

Em questão de meses, ele também entregou a vida a Jesus e foi batizado. Ridho começou a falar do amor de Jesus para a esposa, para que ela também conhecesse o Salvador.

No entanto, para sua surpresa, a esposa ficou muito brava e se recusou a acreditar. Ao contrário do esperado, ela pediu o divórcio. Ridho não estava preparado para essa rejeição, vindo a cair em depressão.

A situação chegou ao ponto em que ele precisou ser internado em um hospital psiquiátrico.

Nesse ínterim, Said e Marsinah começaram a enfrentar perseguição dos moradores do vilarejo e de extremistas islâmicos. Eles tentaram expulsar o casal de casa e da comunidade, mas eles resistiram.

Alguns vizinhos tentaram persuadi-los a voltar ao islã, por amor à própria vida e segurança. Mas eles se recusaram, dizendo: “Nós vamos continuar proclamando Jesus, mesmo que sejamos banidos”.

Apesar da firme fé do casal, Marsinah tem sentido ansiedade e não consegue se alimentar direito devido à pressão que enfrentam.

Fé e esperança ainda estão vivas nessa família, pois eles estão se apoiando em Jesus. Após uma semana no hospital, Ridho recebeu alta e, quando voltou para casa, encontrou tudo vazio – a esposa tinha voltado, junto com os filhos, para sua cidade natal.

Apesar da dor e tristeza, ele disse: “Eu vou seguir Jesus fielmente, mas por favor orem por minha esposa e filhos, para que um dia Deus toque o coração deles”.

A Missão Portas Abertas pede oração para que Said e Marsinah fiquem firmes na fé e se mantenham fiéis a Jesus para que o Senhor lhes dê sabedoria para enfrentar a perseguição; pela cura emocional para Ridho, para que ele seja forte diante de tudo que passou e pela salvação da esposa e filhos e para que eles voltem para casa.

*Nomes alterados por segurança.

Fonte: Portas Abertas