A cristã Leah Sharibu está em cativeiro há quase 4 anos. (Foto: Reprodução)
A cristã Leah Sharibu está em cativeiro há quase 4 anos. (Foto: Reprodução)

Leah Sharibu está viva, afirma o pastor Gideon Para-Mallam. A jovem cristã foi sequestrada pelo Boko Haram em 2018 na Nigéria. Testemunhas viram a garota em cativeiro do grupo extremista.

“De três fontes, posso confirmar que Leah ainda está viva. Não posso entrar em muitos detalhes, mas uma das minhas fontes, que foi recentemente libertada do cativeiro do Boko Haram, confirmou que Leah ainda estava viva. Ela a viu”, disse o reverendo Gideon Para-Mallam à Portas Abertas.

Para-Mallam acrescentou que Alice Ngaddah, uma enfermeira do UNICEF que foi sequestrada pelo Boko Haram nove dias após o grupo militante ter levado Leah, também está viva, assim como outras mulheres detidas pelo grupo.

Em 2018, Leah, então com 15 anos, foi retirada da escola no estado de Yobe por militantes do Boko Haram e, ao contrário das outras colegas, não foi autorizada a voltar para casa porque se recusou a renunciar à fé cristã. Desde então, tem havido relatos de que ela foi forçada a se converter e se casar com um dos comandantes do Boko Haram, e que ela deu à luz um filho dele.

“Já se passaram quase quatro anos desde o sequestro de Leah. Que experiência traumática para essa adolescente. Mas somos gratos a Deus por ela ainda estar viva. A notícia de que ela está viva deve encorajar nossos corações a permanecer esperançosos de que um dia Leah será libertada”, disse Para-Mallam, o pastor que é também defensor da paz em Jos, na região central da Nigéria. Ouça abaixo o depoimento do pastor sobre a jovem.

Em março, os pais de Leah escreveram uma carta aberta na qual pediam ao presidente nigeriano que cumprisse a promessa de libertar a filha.

Sequestros

“A proliferação de armas, a impunidade e a inação do governo permitiram a expansão do Boko Haram e o aumento da violência no Noroeste da Nigéria, onde os ataques de bandidos armados a vilas e escolas estão se tornando endêmicos”, disse um relatório da Portas Abertas.

Mais de mil crianças foram sequestradas das escolas em cinco estados no Noroeste da Nigéria desde dezembro. Como resultado, mais de 600 escolas foram fechadas por medo de novos ataques.

“Estamos angustiados e perturbados porque os sequestros continuam”, disse Para-Mallam. “Só Deus pode garantir o futuro da Nigéria neste momento. Muitos estão desanimados e se sentem desolados. Oremos para que Deus toque nossos líderes políticos para que vejam os desafios que estão diante de nós.”

Fonte: Portas Abertas