Cristãos durante culto na Índia (Foto: Reprodução / Christian Aid Mission)
Cristãos durante culto na Índia (Foto: Reprodução / Christian Aid Mission)

Um professor religioso hindu pediu a decapitação de cristãos durante um comício em massa contra conversões forçadas no estado de Chhattisgarh, na região central da Índia. “Devemos decapitar aqueles que se converteram a outras religiões”, disse o líder hindu Swami Parmatmanand em uma audiência no distrito de Surguja.

“Agora vão dizer que estou espalhando ódio embora eu seja um santo”, disse em uma gravação de vídeo do evento em 1º de outubro, conforme citado pelo portal The Wire. “Eu estou lhes dizendo que qualquer cristão que entra em sua casa, rua, bairro ou aldeia não deve ser perdoado.”

Parmatmanand é um líder do movimento hindutva, que é composto por vários grupos nacionalistas hindus de extrema-direita que querem promover uma nação baseada em valores hindus, na qual não há espaço para minorias religiosas. Muitos deles veem a conversão religiosa como uma ameaça, e líderes de grupos nacionalistas espalham informações falsas sobre minorias religiosas, incluindo cristãos.

Um relatório recente, intitulado “Mentiras Destrutivas”, da London School of Economics em parceria com a Portas Abertas disse que a desinformação contra minorias religiosas na Índia “prospera sem controle”, fazendo com que elas experimentem “ameaça existencial iminente”. Nos últimos meses, houve protestos em larga escala contra os cristãos e supostas conversões forçadas em Chhattisgarh e Madhya Pradesh.

Cristãos em pressão constante

“A maneira como eles espalham a mensagem de ódio por meio desses comícios e protestos é inacreditável”, disse um cristão local à Portas Abertas. “Eles gritam slogans como ‘Vença esses cristãos’, ‘Pare a conversão ao cristianismo’, ‘Salve o país e salve a religião’. Eles também gritam palavras abusivas e os cristãos nesses estados estão vivendo com medo e sob pressão constante das comunidades”, relatou o cristão.

Em 19 de outubro, um pastor foi levado a uma delegacia para interrogatório depois que um grupo de nacionalistas hindus forçou a entrada em uma igreja no Sul do estado de Karnataka, acusando o pastor e outros cristãos de converter pessoas à força. Uma semana antes, em 10 de outubro, um grupo de 50 cristãos foi preso em Uttar Pradesh, Norte da Índia, por supostamente violar a lei anticonversão do estado. A polícia manteve sete deles sob custódia, entre eles três mulheres que foram libertadas sob fiança três dias depois.

Mais de 10 cristãos, também em uma reunião de oração, foram presos em 3 de outubro no estado vizinho de Uttarakhand. Pouco antes da reunião começar, uma multidão de quase 300 pessoas atacou a igreja em Roorkee, destruindo propriedades e espancando alguns dos membros da igreja.

Fonte: Portas Abertas