A Corte americana do Texas condenou nesta quinta-feira o líder religioso polígamo Warren Jeffs por abuso sexual infantil.

Jeffs foi considerado culpado por ter forçado duas adolescentes a aceitar o que ele chamou de “casamento espiritual” e por abusado de uma delas, que teria 15 anos quando teve um filho dele.

A condenação veio após uma prisão em massa em um rancho no Texas, em 2008. Na ocasião, mais de 400 crianças foram retiradas do local depois de acusações de abusos físicos e sexuais contra adolescentes.

Jeffs era o líder da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Últimos Dias, uma cisão da Igreja dos Mórmons, quando esta abandonou a prática da poligamia.

Conduzindo sua própria defesa, o líder religioso disse que foi vítima de perseguição religiosa. Ele pode pegar prisão perpétua.

A seita tem cerca de 10 mil seguidores e tem como premissa a crença de para ir ao céu, homens precisam se casar com pelo menos três mulheres, enquanto elas precisam ser subservientes ao marido.

[b]Fonte: BBC Brasil[/b]