O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou neste domingo a Roma, para uma visita de Estado de três dias, durante a qual se encontrará com o chefe de governo italiano, Silvio Berlusconi, e com o Papa Bento XVI.

Acompanhado de sua esposa, Marisa Leticia, Lula aterrissou no aeroporto militar de Roma Ciampino na primeira hora da tarde (hora local) e foi recebido pela ministra da Igualdade, Mara Carfagna.

A partir de segunda-feira, o presidente brasileiro tem previstas reuniões com Berlusconi, com o chefe de Estado, Giulio Napolitano, e com o presidente da Assembléia, Gianfranco Fini.

Lula e Berlusconi oferecerão na terça-feira uma entrevista à imprensa na Villa Madama, residência oficial de hóspedes.

“O presidente vai reiterar a necessidade de atuar de forma coordenada para a deifnição de um novo sistema financeiro internacional mais transparente, caracterizado por regras e controles mais rígidos em benefício da sustentabilidade do crescimento e do desenvolvimento”, disse em Brasília o porta-voz presidencial, Marcelo Baumbach.

Berlusconi, por sua vez, apóia a ampliação do G8 (grupo dos sete países mais industrializados mais a Rússia) a partir de janeiro de 2009, de modo que países com economias emergentes como Índia, China, México e Brasil sejam incluídos.

“O G8 ampliado deve se tornar o foro capaz de enfrentar os graves problemas econômicos atuais”, declarou Berlusconi em outubro.

A Itália, que presidirá o G8 a partir de janeiro, prepara uma série de reuniões preparatórias antes da cúpula de chefes de governo ao longo do ano que vem.

Lula será recebido na manhã de quarta-feira no Vaticano em uma audiência privada com o Papa. Uma delegação de ministros brasileiros se reunirá paralelamente com o número dois do Vaticano, o cardeal Tarcisio Bertone.

Durante sua visita, Lula deve se reunir também com representantes dos sindicatos e a patronal italianos.

“A Santa Sé e o Brasil deverão assinar um acordo sobre o estatuto da Igreja católica no Brasil”, anteciparam fontes brasileiras à AFP.

O acordo abordo temas como a liberdade religiosa, a não-discriminação por razões de credo, o ensino da la religião nas escolas e o estatuto financeiro da igreja católica.

O presidente brasileiro também espera analisar com o Papa temas como a luta contra a fome no mundo, a imigração e o incentivo ao desenvolvimento.

A visita de Lula ao Papa ocorre 18 meses depois da primeira viagem do Pontífice alemão à América Latina, realizada no Brasil em maio de 2007.

Encerrada sua audiência com o Papa, Lula viajará para os Estados Unidos para participar, no dia 15 de novembro em Washington, da cúpula do G20, que reunirá nações industrializadas e emergentes que concentram 80% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial para analisar a atual crise financeira.

Fonte: AFP