Preso lendo a Bíblia na cadeia
Preso lendo a Bíblia na cadeia

Um relatório recentemente divulgado pelo grupo de direitos humanos Vietnam Human Rights Network (VHRN), aponta que o Vietnã mantém pelo menos 288 prisioneiros de consciência no país.

Setenta e nove desses prisioneiros foram presos desde o início deste ano. Trinta e três desses prisioneiros são cristãos protestantes. Outros presos incluem ativistas políticos, jornalistas independentes e peticionários de direitos à terra.

De acordo com a VHRN, “o Vietnã continua violando os direitos humanos fundamentais, desde discriminação, prisão e detenção arbitrária e violação da justiça do julgamento para restringir a liberdade de religião, liberdade de opinião e expressão, liberdade de associação, etc.”

Segundo o relatório publicado pela VHRN, em 2020-2021, o governo comunista do Vietnã aumentou sua perseguição e perseguição à Igreja Evangélica de Cristo do Vietnã (ECCV).

Embora o ECCV seja uma organização religiosa mundial, ainda não foi aceito pelo governo comunista vietnamita. Os cristãos praticantes no Vietnã enfrentam regularmente discriminação, assédio e prisão.

Em 19 de março de 2020, a polícia na província de Gia Lai prendeu três líderes não registrados do grupo cristão Hà Mòn, apreendendo materiais supostamente antiestaduais e de propaganda. De acordo com as autoridades, os três viviam na selva e contataram outros seguidores de Hà Mòn (cristãos) por oito anos.

Depois de serem criticadas na frente da população local, as três pessoas foram poupadas de processos criminais. No relatório anual de atividades de 2020, a Polícia Provincial de Gia Lai disse que aboliu totalmente a religião Ha Mon e impediu o renascimento do protestantismo De Gar dos grupos de minorias étnicas das Terras Altas Centrais.

Ao longo de 2020, o governo vietnamita recorreu frequentemente à Lei de Terras de 2003, que lhes dá o direito de retirar propriedades da igreja para exercer mais controle sobre os cristãos vietnamitas. No ano passado, o governo confiscou terras e instalações educacionais das paróquias de Thi Nghe e My Loc. O governo também demoliu a escola Thien An, propriedade da Igreja Protestante Tuy Hoa.

Fonte: Guia-me com informações do ICC