Frente da Congregação Cristã na Nicarágua

Pelo menos 32 pastores evangélicos morreram em maio e junho de 2020 devido a coronavírus na Nicarágua (América Latina), embora alguns aumentem esse número para mais de 40.

O jornal Maranata da Costa Rica pôde confirmar essas informações com fontes do país vizinho.

O governo nicaraguense não implementou restrições gerais para combater a epidemia de Covid-19. Atividades governamentais, eventos esportivos e culturais, negócios, indústria e atividades religiosas não foram solicitadas a parar.

Isso causou um debate entre igrejas evangélicas no país. Alguns líderes cristãos disseram que seus locais de culto devem permanecer abertos ,enquanto outros optaram pelo fechamento total dos edifícios da igreja.

Algumas das igrejas que escolheram permanecer abertas acham que podem fazê-lo, seguindo as indicações de segurança da Organização Mundial da Saúde (OMS): respeitando o distanciamento social, usando máscaras faciais e evitando apertar as mãos.

O que é certo, de acordo com o jornal Maranata, é que mesmo essas igrejas sofreram uma forte queda no atendimento , já que a maioria da população tem medo de ser infectada.

Analistas na Nicarágua vinculam a decisão de manter locais de culto abertos ou fechados a tensões políticas e atitudes de apoio do governo lideradas pelo controverso presidente Daniel Ortega, por um lado, e expressões de protesto e desacordo, por outro.

A Igreja Católica Romana na Nicarágua cancelou todas as suas atividades desde março, e organizações como a Convenção Batista decidiram fechar seus locais de culto desde junho, uma decisão que alguns dizem ter sido tomada tarde demais.

Segundo dados coletados pelo jornal espanhol ABC, Nicarágua é um dos países do mundo que informa com menos transparência a evolução do Covid-19. Seu governo também tem sido um dos menos interessados ​​em tomar medidas drásticas para impedir a epidemia.

O site de notícias latino-americano Evangélico Digital acessou um documento assinado pela Aliança Evangélica da Nicarágua, no qual listava os nomes, sobrenomes e data de falecimento de 44 pastores evangélicos da Nicarágua.

Detalhe da carta da Aliança Evangélica da Nicarágua relatando a morte de 44 pastores evangélicos entre maio e junho de 2020. / ED

“Esta é uma lista preliminar de nossos pastores que faleceram e foram à presença de nosso Senhor Jesus de Nazaré neste tempo de pandemia”, diz a carta enviada à Aliança Evangélica da América Latina. “Criamos uma plataforma de oração 24 horas por dia, 7 dias por semana, para fortalecer as famílias pastorais, bem como um projeto de ajuda humanitária”.

Na carta, a Aliança nacional também explica que nem todas as mortes foram confirmadas como causadas pelo Covid-19 e acrescenta: “Agradecemos a Deus pelo fato de várias famílias pastorais terem se recuperado completamente da doença”.