Após declaração no programa ‘Morning Show’, nesta segunda-feira (24), ex-apresentadora e cantora evangélica se explicou em sua página do Instagram.

Mara Maravilha não escapou das perguntas sobre o projeto 234/2011 batizado de “cura gay”, a cantora participava do programa “Morning Show” na Rede TV! nesta segunda-feira (24) quando foi questionada sobre o projeto.

Como evangélica, Mara se mostrou favorável à proposta e disse que simpatiza com as opiniões do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) no que diz respeito ao homossexualismo. “Muitos pensam igual a ele”, disse ela.

[img align=left width=300]http://1-ps.googleusercontent.com/x/www.gospelprime.com.br/noticias.gospelprime.com.br/wp-content/blogs.dir/20/files/2013/06/xMara-Maravilha-cura-gay-320×200.jpg,qgrande.pagespeed.ic.oQmZ_0HG41.webp[/img]“Eu particularmente gosto muito e respeito muito o pastor Marco Feliciano. Eu acho que todos nós podemos ter as nossas opiniões. Você tem que respeitar a opinião de quem não pensa igual”.

A cantora afirmou que tem orgulho de ser heterossexual e que isso não significa que ela esteja ofendendo os homossexuais. Sobre a cura, ela afirma: “Eu creio na cura do impossível”.

Mas ela acredita que o homossexualismo é uma opção. “Eu acho que o fato de não respeitar a nossa opinião é um preconceito”, disse ela diante dos questionamentos dos apresentadores do programa.

Mara, que é evangélica, alfinetou a cantora Daniela Mercury dizendo que foi “estranho” ver uma cantora chamando os jornalistas para beijar sua companheira diante de tantas polêmicas em torno do homossexualismo.
“Tem muito pai, tem muita mãe, tem muitas pessoas que não concordam com essa aberração. Eu não acho bonito nem um homem e uma mulher ficarem em publico se atracando. Tem coisas que é particular”.

A cantora também comentou que em sua igreja há muitos homossexuais que não desejam mais se relacionar com pessoas do mesmo sexo.

Assista:

[b]Mara Maravilha divulga nota oficial[/b]

Mara Maravilha usou sua página do Instagram, nesta segunda-feira (24), para se explicar após suas declarações, consideradas homofóbicas, ao programa Morning Show, na RedeTV!.Ela, que assumiu publicamente ser uma admiradora do pastor Marcos Feliciano, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, tem sido alvo de protestos por conta do projeto da “cura gay”.

Ela, que chegou a dizer que “duas pessoas se beijando é uma aberração”, “que conhece gays que querem a cura” e que “ser gay é uma opção”, foi alvo de protestos da comunidade LGBT logo após a declaração. Em sua página do Instagram, nesta noite, ela divulgou uma carta dizendo que as pessoas entenderam mal suas declarações.

“Estou sendo mal interpretada! Nunca disse que gay é aberração! Não levanto nenhuma bandeira política oportunista! Em todas essas calúnias contra mim, o que vai prevalecer é a minha conduta de respeito e amor ao próximo, sem fazer acepção de pessoas… Bulling [sic] é aberração! Não vou me intimidar, continuo contando com o bom senso e a inteligência de todos independente de suas escolhas sexuais, religiosas e políticas. No demais Vai Tudo Bem, e não pretendo comentar mais sobre o assunto. Porque o justo não se justifica!”.

[b]Fonte: Gospel Prime e TN Online
[/b]