Deputado Federal e pastor Marco Feliciano
Deputado Federal e pastor Marco Feliciano

O deputado federal Marco Feliciano (PSC/SP) reagiu às críticas feitas pelo pastor da Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo, Valdinei Ferreira, quando no dia 31, data da comemoração dos 500 anos da Reforma Protestante, Valdinei fez duras críticas à bancada evangélica.

Além de pastor da Igreja Presbiteriana Independente em São Paulo, Valdinei Ferreira também é sociólogo e está à frente do movimento Reforma Brasil, que segundo seus autores, se destina a quaisquer cidadãos brasileiros e vai cobrar de candidatos à Presidência e a postos legislativos, ano que vem, qual proposta de reforma política eles têm em mente e por qual irão trabalhar.

O movimento defende sete propostas: fim do foro privilegiado, limite para a reeleições de deputados e senadores, fim das emendas legislativas, voto distrital, redução da influência do dinheiro nas eleições, aprimoramento dos mecanismos de nomeação para o Judiciário e mudanças legislativas que acabem com a representação desproporcional dos Estados menos populosos.

Porém, uma das lideranças mais atuantes da Frente Parlamentar Evangélica, o deputado federal e pastor Marco Feliciano não aceitou bem as críticas. Para ele, Ferreira é um “pseudopastor que perdeu a chance de ficar calado, foi deselegante, oportunista e desleal”.

Para Feliciano, um dos 80 membros da frente evangélica, o pastor presbiteriano “prestou um desfavor à comunidade evangélica” e fala por uma ala da religião que, “em grande maioria, é progressista e não apoia nem se mistura com ninguém”.

O presidente da bancada evangélica na Câmara, pastor Hidekazu Takayama (PSC-PR), também condenou a fala do presbiteriano. “Esses ataques de Valdinei e Modesto Carvalhosa me parecem um pano de fundo para disfarçar uma busca enlouquecida de holofotes, para que este último se lance em cargos políticos, como o próprio relatou à Folha.”

Presente no ato que lançou o Reforma Brasil, o jurista Carvalhosa se declarou disposto a concorrer a presidente no ano que vem, caso candidaturas avulsas sejam aceitas.

“Ora, muito me admira ver um cristão nos atacando de forma leviana e destemperada”, disse Takayama. “Há representantes de Deus em todas as Casas de lei espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Todas com a meta de atuar em pautas que dizem respeito à família e a sociedade cristã.”

Entre os 80 deputados da bancada atacada por Valdinei, três se dizem presbiterianos –como ele.

Em resposta aos colegas pastores, ele disse que o Reforma Brasil “é abrangente, e a menção à bancada evangélica” é apenas “um aspecto da contextualização da crise do nosso sistema político”.

Fonte: Folha de São Paulo