A agência de notícias International Christian Concern (ICC) foi informada de que oficiais do governo italiano intimou um oficial da embaixada paquistanesa para demonstrar a preocupação sobre os “recentes episódios de intolerância religiosa no Paquistão”.

A Itália liderou os esforços da União Europeia para proteger os cristãos da perseguição. A UE estabeleceu um grupo de trabalho para proteger os cristãos perseguidos e preparar um manual para os membros das embaixadas sobre o tratamento que deve ser dado aos perseguidos.

Durante uma conversa, o Embaixador pediu a um oficial do Paquistão informações sobre as violações da liberdade religiosa no Paquistão e sobre “as medidas tomadas pelas autoridades paquistanesas para assegurar que os responsáveis sejam entregues para a justiça”.

Os cristãos no Paquistão são vistos como cidadãos de segunda classe e enfrentam formas violentas de perseguição. Eles também são vítimas da lei de blasfêmia do país, que condena à morte aqueles que blasfemarem o nome de Maomé e prisão perpétua por profanação do Alcorão.

Fonte: Missão Portas Abertas