Valdemiro Santiago é líder da Igreja Mundial do Poder de Deus
Valdemiro Santiago é líder da Igreja Mundial do Poder de Deus

O MPF (Ministério Público Federal) solicitou hoje que o YouTube retire do ar vídeos nos quais o pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, anuncia uma falsa cura para o novo coronavírus por meio da venda de sementes de feijão. O órgão deu prazo de cinco dias para a empresa tomar as devidas providências.

Não há cura ou mesmo vacina para a covid-19 confirmada até o momento pela OMS (Organização Mundial da Saúde). A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) também afirma que não há remédio aprovado para a doença no momento, e que propagandear falsas curas pode ser passível de punição.

No vídeo abaixo, publicado em 1º de maio, o pastor fala do suposto benefício de uma planta e pede o “propósito de R$ 1 mil” por ela. Ele mostra suposto exame que comprovaria que uma pessoa teria se curado da doença após utilizar a semente, embora não especifique qual planta é.

Valdemiro fala do potencial da semente: “gente curada de estado terminal, gravíssimo. E tá ali o exame, para quem quiser. (…) Você vê como a semente é semeadora. E aí sim conseguiu vencer a crise e a epidemia. Só tem um jeito de se vencer essas fases difíceis. É semeando, e semeando na obra de Deus. Essa semente é interessante, você planta… É a semente ‘sê tu uma bênção’. Você vai semear essa semente e na planta que nascer vai estar escrito ‘Sê tu uma benção’.”

O MPF solicitou que, além de retirar do ar, o YouTube mantenha a íntegra do vídeo preservada e salva em arquivos da empresa, assim como levantamento sobre a quantidade de acessos. O intuito é utilizar os dados para futuras providências de responsabilização.

Na última semana, o órgão enviou uma notícia-crime ao Ministério Público do estado de São Paulo pedindo que Valdemiro seja denunciado por suposta prática de estelionato.

“Para a Procuradoria, está claro o uso de influência religiosa e da mística da religião para obter vantagem pessoal (ou em benefício da IMPD), induzindo vítimas em erro, pois não há evidência conhecida de cura da covid-19 por meio de alguma divindade nem por ingestão ou plantação de feijões mágicos”, diz o MPF.

Veja o vídeo

Fonte: UOL