Bailey é uma das personagens da nova série infantil 'Clube das Babás'. (Imagem: Reprodução / Netflix)

Um garoto de 9 anos que foi transformado pelos pais em menina está interpretando uma personagem também transgênero em uma nova série infantil da Netflix. A produção lançada no início do mês de julho é o remake de um conhecido programa de TV dos anos 90 nos EUA, “The Baby-Sitters Club” (“O Clube das Babás”).

A criança nasceu do sexo masculino com o nome de Joseph. Porém, com apenas 5 anos de idade, os pais do garoto nascido do Texas insistiram que seu filho era na verdade uma “garota trans” e deveria ter permissão para usar o banheiro das meninas. Atualmente, Joseph se identifica como uma garota e adotou o nome de Kai Shappley.

Os pais de Shappley chamaram a atenção em 2016, quando entraram em uma disputa judicial contra o Distrito Escolar Independente de Pearland, cujos funcionários disseram aos Shappley que seu filho precisaria usar o banheiro dos meninos, porque as instalações combinavam com o sexo biológico de seu filho, segundo informou a KRIV-TV .

Embora posteriormente, as autoridades do Distrito Escolar de Pearland tenham oferecido a Kai o banheiro neutro em termos de gênero, isso não foi satisfatório para os Shappleys. Por fim, a família se mudou para Austin, onde os pais acreditavam que o desejo de Kai de usar o banheiro das meninas era mais provável de ser aprovado.

Os pais de Kai dizem que seu filho começou a afirmar ser uma menina aos 2 ou 3 anos de idade.

Agora com quase 10 anos, Shappley está interpretando “Bailey”, uma personagem feminina transgênero, na nova série infantil da Netflix.

Surpreendentemente, Kimberly Shappley, mãe de Kai, identifica-se como “uma seguidora de Jesus” e falou sobre como sua fé cristã e sua política conservadora coexistem com sua visão sobre o transgenerismo.

“Recebi uma mensagem no Facebook de alguém em LA de que havia uma vaga para uma garota trans no ‘Baby-Sitters Club’ e eles perguntaram se ela queria fazer o papel de Bailey”, disse Kimberly à KPRC-TV.

A família então foi para Vancouver (Canadá) uma semana depois para filmar a parte de Kai no programa.

Ideologia de Gênero

A ideologia de gênero tem sido alvo de estudos de especialistas de diversas áreas, incluindo psicólogos, pediatras e psiquiatras.

Uma delas é a pediatra e presidente da Faculdade Americana de Pediatria, Michelle Cretella. Ela afirma que levar alguém a questionar seu próprio gênero e sexo biológico ainda na infância pode destruir a noção de realidade e de sua identidade que a criança ainda está construindo.

“O sexo biológico não é atribuído, mas sim determinado na concepção pelo nosso DNA e está estampado em cada célula de nossos corpos. A sexualidade humana é binária. Você tem um cromossomo Y normal, que se desenvolve em um homem, ou não, e você se transformará em uma fêmea. Existem pelo menos 6.500 diferenças genéticas entre homens e mulheres. Hormônios e cirurgia não podem mudar isso”, destaca ela em um artigo.

“Uma identidade não é biológica, é psicológica. Tem a ver com o pensamento e o sentimento. Pensamentos e sentimentos não são biologicamente definidos. Nosso pensamento e sentimento podem ser factualmente corretos ou factualmente incorretos”, acrescenta.

“Iludir todas as crianças da pré-escola para a frente com a mentira de que elas poderiam estar presas no corpo errado destrói o alicerce, a noção de realidade de uma criança. Se elas não podem confiar na realidade de seus corpos físicos, em quem ou no quê eles podem confiar? A ideologia de gênero nas escolas é o abuso psicológico que muitas vezes leva a castração química, esterilização e mutilação cirúrgica”, finaliza.

Fonte: Guia-em com informações de CBN News