Vaticano
Vaticano

A agência Fides, do Vaticano, divulgou nesta quinta-feira (21) as estatísticas sobre o número de fiéis no mundo, apontando que a Igreja Católica conta com 1,34 bilhão de fiéis , um número que cresceu em todos os continentes, com exceção da Europa.

Em 31 de dezembro de 2019, o número de católicos chegava a 1.344.403.000, ou seja 15.410.000 pessoas a mais em relação ao ano anterior, segundo os dados coletados pela agência Fides, o órgão de informação dos missionários católicos.

Em 2009, dez anos atrás, a agência Fides contabilizou 1.180.665.000 católicos. A Europa registrou uma queda de 292.000, enquanto a África registrou o maior aumento (+8,3 milhões), seguida pelas Américas (+5,3 milhões), Ásia (+1,9 milhão) e Oceania (+118 mil).

Nas Américas, não foi especificada a quantidade para América do Norte e do Sul. No total, os católicos representam 17,74% da população mundial, calculada em 7.577.777.000.

O número de padres foi estabelecido em 414.336 (+271 em relação a 2018), mas diminuiu na Europa (-2.608), América (-690) e Oceania (-69). Já África (+1,649) e Ásia (+1,989) registraram um aumento dos padres, o que confirma que o futuro da Igreja se encontra nesses dois continentes e compensa o declínio na Europa e nas Américas.

Há dez anos, em 2009, Fides fez a mesma observação sobre a Europa, com uma queda do número de padres (-1.674). Novamente foi registrada uma crise vocacional, já que o número de seminaristas está em 114.058, com uma queda de 1.822. Somente a África registrou um aumento (+509).

Os dados, publicados por ocasião do Dia Mundial das Missões, que se celebra no domingo, revelam que os católicos representavam 17,74% da população mundial a 31 de dezembro de 2019, data a que se referem as estatísticas mais recentes recolhidas pela Santa Sé.

O aumento do número de batizados é mais significativo na África (+8,3 milhões) e na América (+5,3 milhões), com a Europa em contraciclo (-292 mil católicos). A percentagem de católicos nos vários continentes é de 63,8% na América; 39,64% na Europa; 26,34% na Oceania; 19, 49% na África; e 3,31% na Ásia. Os sacerdotes são 414.336 em todo o mundo, os religiosos não sacerdotes 50.295 e os diáconos permanentes 48.238.

Setores essenciais

O relatório destaca a participação da Igreja Católica na área de saúde e educação. No campo da educação, a Igreja Católica administra 72.667 creches e 98.925 escolas primárias nos cinco continentes, que servem mais de 42,6 milhões de crianças; quase 50 mil escolas secundárias têm 19 milhões de alunos, a que se somam mais de 6 milhões de estudantes do ensino superior.

Quanto à saúde, as instituições católicas gerem 5.245 hospitais, 14.963 centros de saúde/dispensários; 532 casas para leprosos; 15.429 lares para idosos, doentes crónicos e pessoas com deficiência; 9.374 orfanatos; 3.198 centros de educação ou reeducação social; e 33 840 instituições de outro género.

O cardeal Luis Antonio G. Tagle, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos (Santa Sé), disse em conferência de imprensa, que a Igreja precisa de “testemunhas” do Evangelho, mais do que “conceitos técnicos”, para abrir a porta ao anúncio da fé.

O cardeal filipino destacou que “o encontro com Cristo e o seu Evangelho geram abertura e comunhão com o próximo”. “A missão está no coração de todos nós, cada batizado é um missionário do Reino de Deus, a missão é um apelo para todos os batizados”, prosseguiu.

Dom Giampietro Dal Toso, presidente das Obras Missionárias Pontifícias (OMP) e secretário-adjunto da Congregação para a Evangelização dos Povos, destacou por sua vez alguns sinais que chegam de “comunidades cristãs vivas”, na Europa. Dal Toso defendeu a implementação de “percursos de iniciação cristã” para quem já está perto da Igreja Católica, ajudando-os a “aprofundar o que é o Cristianismo”.

As estatísticas foram retiradas do último “Anuário Estatístico da Igreja” e oferecem uma visão geral da Igreja Católica no mundo, devido à 95ª Jornada Mundial dos Missionários que se acontece no domingo.

Fonte: Dom Total