Muçulmanos fazendo orações durante o Ramadã
Muçulmanos fazendo orações durante o Ramadã

A Arábia Saudita é um dos poucos países no mundo sem nenhum prédio de igreja. Oficialmente, o país é 100% islâmico.

Entretanto, o colaborador da Portas Abertas, Felix*, viajou disfarçado recentemente para investigar evidências físicas de como o Deus da Bíblia tem sido – e continua sendo – presente e trabalha na Arábia Saudita.

Durante a visita ao país, ele andou pelo corredor central de um dos muitos shoppings da cidade de Dammam, enquanto o chamado para a terceira oração do dia dos muçulmanos era transmitido nos sistemas de som.

Foi impossível não ouvir, já que, pela lei, todos os negócios na Arábia Saudita têm que parar suas operações durante o momento de oração. Pequenas lojas fecharam suas portas, enquanto grandes supermercados diminuíram suas luzes e fecharam todos os caixas para que ninguém pudesse pagar pelas compras durante aquela meia hora.

Alguns sauditas correram para a mesquita dentro do shopping, outros pegaram seus tapetes de oração e começaram grupos de oração instantâneos entre os corredores de um supermercado.

Enquanto islâmicos estão por toda a parte na Arábia Saudita, nenhum único cristão neste shopping foi reconhecido como tal. Felix fez uma oração silenciosa pelas pessoas que viu orando em público.

Elas são parte de um sistema rígido e sufocante de regras e equívocos. A oração foi para que elas experimentem liberdade, salvação e graça que Cristo trouxe para este mundo, que é para eles também.

A Arábia Saudita, país contém a maioria dos lugares sagrados no islamismo, é um dos lugares mais inóspitos no mundo para cristãos. Prédios de igrejas, cruzes ou qualquer outro símbolo cristão são proibidos pela lei, mesmo em território soberano das embaixadas estrangeiras na Arábia Saudita. Cristãos podem se encontrar, mas têm que fazer isso em segredo.

Viver de acordo com a narrativa islâmica é assumir que cristãos não pertencem à Península Arábica, e nunca pertenceram. Mas o que muitos não sabem – e o que o país não é aberto para – é que há provas e muitos rumores de pelo menos algumas igrejas que permanecem ativas.

Fonte: Missão Portas Abertas