O Papa Bento XVI afirmou ontem durante a celebração do Ângelus que a ciência moderna confinou a fé na esfera individual, por isso que o mundo e o homem precisam “dramaticamente” de Deus.

Para o Pontífice, “a ciência contribui muito para o bem da humanidade, mas não é capaz de redimi-la”.

“O homem tem que ser redimido pelo amor, que torna boa e bela a vida pessoal e social e por isto a grande esperança, completa e definitiva, é garantida por Deus”, acrescentou.

Segundo Bento XVI, “a história muda e pede para ser constantemente evangelizada e precisa ser renovada a partir do interior através de Cristo, que é o futuro luminoso do homem e do mundo”.

O Papa fez estas afirmações ao explicar aos fiéis católicos sua recém publicada segunda encíclica, “Spe Salvi”, dizendo que este domingo, no qual começa o Advento, o período que precede para os católicos o nascimento de Cristo, “é o dia mais indicado para oferecê-la à Igreja inteira e a todos os homens de boa vontade”.

Explicou que tanto nesta encíclica como no Novo Testamento se destaca que “a palavra esperança está estreitamente ligada à palavra fé”.

A esperança “é um dom que muda a vida de quem o recebe, como demonstra a experiência de tantos santos e santas” e que “consiste em conhecer a Deus, em descobrir seu coração de Pai bom e misericordioso”, acrescentou.

Fonte: EFE