A Papua-Nova Guiné é altamente cristianizada, com cerca de 70 por cento das pessoas indicando fé pessoal em Jesus. (Foto: Reprodução / Bible Society)
A Papua-Nova Guiné é altamente cristianizada, com cerca de 70 por cento das pessoas indicando fé pessoal em Jesus. (Foto: Reprodução / Bible Society)

A liderança de Papua-Nova Guiné, um pequeno país localizado na Oceania que fica ao lado da Indonésia e da Austrália, decidiu declarar o país oficialmente cristão.

Segundo o portal Family Voices, isso se baseia no reconhecimento de que Papua-Nova Guiné tem uma herança cristã, conforme descrito no preâmbulo de sua Constituição, que foi adotada após a independência da Austrália em 1975.

 “Nós, o povo de Papua Nova Guiné … nos comprometemos a guardar e transmitir àqueles que vierem depois de nós nossas nobres tradições e os princípios cristãos que agora são nossos … sob a orientação de Deus, para ser o Estado Independente da Papua Nova Guiné”, diz o documento.

O país é altamente cristianizado, com cerca de 70 por cento das pessoas indicando fé pessoal em Jesus, em uma cultura que está impregnada de moralidade cristã.

Embates

Em junho de 2020, um relatório emitido pelo Instituto Nacional de Pesquisa da Papua-Nova Guiné concluiu que o país não é oficialmente cristão.

O autor do relatório, Dr. Eugene Ezebilo, disse que um país só é cristão quando tem o cristianismo como religião nacional oficial e apresenta uma igreja estabelecida. Ele advertiu que se a Papua-Nova Guiné se tornar oficialmente uma nação cristã, isso pode dissuadir os não-cristãos de se mudarem para o exterior.

Diante do embate, o Conselho Executivo Nacional de Papua Nova Guiné aprovou, em agosto de 2020, uma proposta para declarar formalmente o país como cristão sob a Constituição, aparentemente em resposta ao relatório.

Herança cristã

O porta-voz da FamilyVoice Australia, David d’Lima, disse que o reconhecimento constitucional da fé cristã é um recurso útil para qualquer nação, mas, em última análise, não contribui para um país cristão.

“A Austrália e Papua-Nova Guiné têm uma rica herança cristã e um reconhecimento constitucional da soberania de Deus”, disse ele.

“Na Austrália, o preâmbulo declara que o povo está humildemente contando com a bênção do Deus Todo-Poderoso e do Pai da Federação (Sir Henry Parkes) escreveu em uma coluna publicada no Sydney Morning Herald em 26 de agosto de 1885, que somos preeminentemente um povo cristão”, lembra.

“Como qualquer pai, podemos nos orgulhar de Papua Nova Guiné como nossa nação descendente que busca honrar a Cristo”, disse David d’Lima.

“No entanto, se continuarmos a mergulhar de cabeça nas transgressões na Austrália, talvez tenhamos que confiar nos missionários da Papua-Nova Guiné para reevangelizar nosso país”, alfinetou.

“O comportamento ético de PNG e sua aceitação do evangelho cristão é muito melhor do que a Austrália, que se tornou cada vez mais pecaminosa em seu comportamento social e disposições legais nos últimos anos”, justificou.

Fonte: Guia-me com informações de Family Voice