Ele foi acusado pelo MP local de outro crime sexual, envolvendo menores, mas desse ele foi absolvido.

Um pastor, de 34 anos, foi condenado pela justiça portuguesa de ter abusado sexualmente de uma menor de 10 anos nesta semana. A menina vítima era sua enteada. Ele atua numa congregação da Assembleia de Deus em Sacavém, que pertence a Loures, localizada a poucos quilômetros a nordeste da capital de Portugal, Lisboa.

O religioso foi acusado pelo Ministério Público (MP) local por crimes distintos envolvendo menores que tinham 10 e 15 anos na época das infrações. No entanto, o coletivo de juízes da 4.ª vara criminal, responsável pelo julgamento, entendeu que o único caso efetivamente provado foi esse da enteada.

Como não tinha antecedentes criminais, o tribunal decidiu pela suspensão da pena de prisão. Essa foi fixada em dois anos.

Segundo informações da agência Lusa, o MP tinha pedido que ele também fosse penalizado com a expulsão do território nacional, já que o pastor se encontrava ilegalmente em Portugal. Esse requerimento também foi negado pelo coletivo.

Os crimes que foram analisados aconteceram entre 2008 e 2009 com a enteada do homem, de 10 anos, e a prima dela, de 15. O acusado viveu em Loures com a mãe da menina mais nova. Eles tiveram uma filha, mas a mulher se separou dele quando soube dos abusos. Alguns atos sexuais teriam acontecido também na capital Lisboa.

O caso foi julgado sigilosamente. Jornais locais afirmaram que inicialmente as autoridades disseram que o pastor pertencia a uma congregação da igreja Batista. No entanto, depois ficou esclarecido que ele atua é na Assembleia de Deus e continua em liberdade.

Não foram divulgados mais dados e detalhes sobre o condenado.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]