Um pastor do Ministério da Juventude de Cockeysville, Maryland (Estados Unidos) foi indiciado por pedofilia, depois da polícia local descobrir a divulgação de material de pornografia infantil com imagens de bebês estuprados.

Robert David Wright tem 35 anos e era líder de um grupo de jovens da Igreja Metodista da cidade de Phoenix, também no estado de Maryland. Ao investigá-lo, a polícia encontrou o armazenamento virtual de conteúdo chocante, com fotos de bebês do sexo feminino, crianças e pré-adolescentes, que eram repassadas pela internet.

O pastor John Dailey, da igreja de Wright, confirmou por meio de um comunicado que o ministro de jovens faz parte de sua congregação e que os membros que administram a igreja estão levando o ocorrido “muito a sério”, para preservar um “ambiente seguro para as crianças e jovens”.

Para acalmar a imprensa local e assegurar os fiéis da igreja de que os jovens estão seguros, Dailey relatou que a congregação implementa uma política de extrema vigilância para mantê-los protegidos, e que Wright não deixou nenhuma evidência de abuso no grupo da juventude, apesar das acusações recentes.

Entre as medidas de proteção, o pastor garante que, em nenhum momento, Wright ou qualquer outro adulto ficou sozinho com os jovens. Além disso, a igreja cuida para que as crianças adolescentes estejam sempre com a monitoria de dois adultos dentro de ambientes que mantém as portas abertas.

A política da igreja também garante que Wright não retornará ao seu cargo, pois há regras pré-estabelecidas que proíbem a presença de líderes que tenham sido condenados ou tenham um histórico envolvendo abuso sexual, seja com menores ou adultos.

No momento, a polícia manterá as investigações, ao enviar as imagens até o Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas (National Center for Missing and Exploited Children), para identificar, proteger as crianças de novos abusos e oferecer assistência psicológica. Já Wright está na cadeia sob pena de fiança de 150 mil dólares.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]