Pastor Yohanna Shuaib. (Foto: Reprodução)
Pastor Yohanna Shuaib. (Foto: Reprodução)

Uma multidão de muçulmanos matou um pastor num brutal ataque com facão, após queimar sua casa, igreja e escola no estado de Kano, na Nigéria.

De acordo com o Morning Star News, em 22 de setembro, o reverendo Yohanna Shuaibu da Igreja Nova Vida foi atacado no vilarejo de Massu, depois que uma mulher foi morta por um homem que teria se convertido ao cristianismo.

“Os muçulmanos sentiram que o jovem que matou a mulher em uma briga era um cristão e, provavelmente, atacaram o pastor porque foi por meio do ministério de Shuaibu que muitos muçulmanos se converteram à fé cristã”, disse Hosle Tongnan Michael, amigo e colega do pastor.

Um dia antes do ataque, o reverendo Shuaibu decidiu se esconder em um vilarejo vizinho para se proteger, depois ele retornou a Massu para ajudar a evacuar os alunos de sua escola como medida de segurança.

“O pastor Shuaibu acreditava que a tensão gerada pelo terrível incidente havia diminuído e pensou que ele poderia ficar com sua família e outras pessoas em Massu”, contou Michael. “No entanto, os muçulmanos reuniram sua turba e desceram sobre ele, atacando gravemente com facões e incendiaram sua casa, a igreja e a escola”.

A esposa e os filhos do pastor conseguiram fugir com vida do ataque. Então, os cristãos de aldeias vizinhas souberam do atentado e chamaram a polícia. Shuaibu foi levado a um hospital próximo, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo Michael, os conflitos na comunidade de Massu começaram quando o jovem, que havia deixado o Islã, se entregou à polícia depois de matar uma mulher muçulmana durante uma discussão, no dia 21 de setembro.

“Sabemos que, neste tipo de momento, é um risco incomensurável ser cristão, especialmente na parte norte da Nigéria. Quem serve a Cristo não pode ter certeza de estar vivo no dia seguinte no norte da Nigéria”, explicou.

Pastor Shuaibu: um defensor da paz

Michael destacou a importante obra social que o pastor desenvolveu em sua comunidade. Numa tentativa de promover a paz, Shuaibu forneceu uma fonte de água para os muçulmanos. “A certa altura, uma das fontes de água da mesquita foi reformada por nós como nosso apoio à comunidade muçulmana, que acreditávamos promoveria a paz e evitaria algumas das ameaças contra os pacíficos irmãos cristãos”, relatou.

Além disso, “sob sua supervisão, conseguimos arrecadar fundos e perfurar poços de onde as comunidades cristãs que não tinham acesso a fontes de água do governo pudessem ter acesso à água”.

O pastor também contribuiu para a construção de uma escola para crianças cristãs indígenas, da qual o acesso à educação havia sido negado devido à sua fé.

Michael concluiu: “Esta é a história da vida de um soldado cristão, o embaixador do Senhor, que foi caçado e horrivelmente morto em seu posto de trabalho, e seu erro foi que ele era um servo de Deus”.

Fonte: Guia-me com informações de CBN News e Morning Star News