Pastor Sílvio Ribeiro, da Igreja Catedral Global do Espírito Santo
Pastor Sílvio Ribeiro, da Igreja Catedral Global do Espírito Santo

O pastor Sílvio Ribeiro, da Igreja Catedral Global do Espírito Santo, concedeu uma coletiva de imprensa, no templo da igreja, após o anúncio de um culto com imunização contra o coronavírus, realizado no último domingo (1), em Porto Alegre, se torna polêmico e a igreja passar a ser investigada pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

Em sua defesa, o religioso afirmou que estava apenas obedecendo a Palavra de Deus.

“Se soubesse que a declaração causaria polêmica ou pânico ou agrediria a medicina e os médicos jamais teria falado. Somente falei em defesa da minha fé, da palavra de Deus. Jesus me mandou não só orar por quem está com coronavírus, mas me mandou até ressuscitar morto”, declarou.

Silvio ainda questionou às autoridades por que ele não foi preso na hora do culto já que o acusam de cometer um crime. Ele disse que não vendeu óleo durante a reunião, mas ungiu quem esteve presente porque tem “que ser fiel à palavra do Deus vivo”.

“Nossa intenção foi a melhor de todas, levar fé, esperança e amor. Infelizmente, num péssimo momento, usei as palavras erradas e peço perdão. Vou ser amigo do que está na sociedade para ajudar o ser humano”, finalizou Sílvio Ribeiro.

Fonte: Pleno News, G1 e Gaúcha ZH