Candidato a deputado estadual pelo Partido Social Liberal (PSL), o pastor Izaias Euzébio, 48 anos, sofreu uma enorme frustração nas eleições deste domingo.

Nem meia hora depois de iniciada a votação, ele diz ter recebido uma ligação que colocou por terra o esforço de mais de um ano de campanha. “Um eleitor meu lá de Pereira Barreto (região noroeste do Estado de São Paulo, há mais de 400 km de distância de Campinas) me ligou dizendo que não havia conseguido votar em mim porque eu aparecia como “candidato inexistente”, contou ele. Em seguida, continuou o ex-candidato, vieram telefonemas de Marília, Ubirajara, Campos Novos Paulista (onde nasceu) e Ribeirão do Sul. “Em todos esses lugares, me diziam que minha candidatura não existia”, contou.

Perplexo, Euzébio procurou o partido e só então foi informado que sua candidatura a uma vaga na Assembléia Legislativa de São Paulo, havia sido indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Foi um choque tremendo para mim. Lutei durante vários meses, não só em Campinas por essa candidatura e no dia da eleição a gente descobre que não está concorrendo”, lamentou ele, que promete reagir. “Vou processar o partido. Para mim, o PSL foi negligente e agora vamos decidir isso na justiça”, ameaçou. Euzébio diz que pretende ajuizar uma ação indenizatória por danos morais e materiais. “Amanhã (segunda-feira) mesmo vou contratar um advogado”, afirmou.

A candidatura de Izaias Euzébio foi indeferida por um problema burocrático. O PSL ofereceu uma lista de filiados no qual Euzébio não aparecia e a lei eleitoral é clara ao exigir dos candidato um mínimo de um ano de filiação partidária. “Eles forneceram ao TSE uma lista errada, porque eu sou filiado desde 2003. Em 2004, cheguei a ser candidato a vereador em Campinas. Como é que eu não aparecia como filiado?”, pergunta ele, que recebeu 251 votos naquela eleição.

Pela previsão do PSL ao TSE, a campanha de Izaias Euzébio iria consumir R$ 150 mil. Ele diz que não gastou nem metade disso.

Fonte: Cosmo Online