Extremistas fazem protesto violento contra cristãos na Índia. (Foto: asianews.it)
Extremistas fazem protesto violento contra cristãos na Índia. (Foto: asianews.it)

A perseguição aos cristãos em todo o mundo deve aumentar em 2019, de acordo com um grupo que observa a perseguição aos cristãos compartilhando uma preocupação especial com os crentes na Nigéria, China e Índia.

A Release International , que está comemorando seu 50º aniversário, disse em um comunicado de imprensa que 215 milhões de crentes enfrentam violência e discriminação por sua fé.

“Na Nigéria, os militantes Fulani parecem preparados para continuar os ataques devastadores contra os cristãos no norte e centro do país. Somente nos primeiros seis meses de 2018, eles mataram até 6 mil e expulsaram 50 mil de suas casas”, disse o grupo sobre a situação n o país africano.

Um missionário que não foi identificado, disse que há um “plano deliberado para destruir e assumir as comunidades predominantemente cristãs na região”. A fonte acrescentou que os cristãos estão enfrentando uma “jihad estratégica moderna”.

Em junho, a Associação Cristã da Nigéria e chefes denominacionais de igrejas no Estado de Plateau disseram que o que está acontecendo na Nigéria é “puro genocídio e deve ser interrompido imediatamente”.

O governo comunista da China também foi mencionado entre as maiores causas de preocupação, com novas regras sobre a regulamentação da religião reprimindo igrejas, pastores e congregações em todo o país.

“O governo quer reduzir o cristianismo a apenas uma atividade menor de pessoas idosas sem importância”, alertou outro sócio.

Na Índia, Release apontou violentos grupos radicais que invadiram reuniões de oração, saquearam igrejas e espancaram crentes.


A Release International está fornecendo Bíblias nas línguas locais para substituir as que os militantes destroem e está dando assistência legal vital e apoio aos pastores que foram presos”, revelou o grupo.

Outros países de particular preocupação para 2019 foram listados como Coreia do Norte, Eritreia e Paquistão.

As perspectivas para 2019 vêm nos calcanhares do ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt, anunciando que o governo britânico fará uma revisão da perseguição cristã em todo o mundo.

Hunt disse que, embora o Reino Unido defenda há muito tempo a liberdade religiosa internacional, muito mais pode ser feito para ajudar os cristãos em regiões problemáticas do mundo, como no Oriente Médio.

“Com o cristianismo à beira da extinção em seu local de nascimento, é hora de uma ação concertada que comece a virar a maré”, acrescentou ele, referindo-se aos cristãos do Oriente Médio.

“Não é do nosso caráter nacional fechar os olhos ao sofrimento. Todas as minorias religiosas devem ser protegidas e as evidências demonstram que, em alguns países, os cristãos enfrentam o maior risco ”.

Paul Robinson, CEO da Release International, saudou a revisão planejada.

“Apoiamos o pedido para que o Reino Unido faça mais para apoiar a Igreja que sofre em todo o mundo”, disse Robinson.

Fonte: The Christian Post