Oficiais convocaram um ancião de uma igreja doméstica em uma aldeia não revelada no sul do Butão, na noite de 4 de março. A ordem veio depois que um vizinho delatou uma reunião cristã que havia ocorrido na casa do “suspeito” no mesmo dia, e na presença de moradores de outros bairros.

Alguns cristãos que participaram do referido encontro tinha andado por quase nove horas para estarem ali. A reunião deveria continuar por muitos dias mais.

Uma fonte local afirmou que “os cristãos realizaram um encontro de oração na casa do mais velho. Estamos pensando em como proceder a partir de agora, considerando a segurança.”

O Butão ocupa a 31ª posição da Classificação de países por perseguição, lista anual da Portas Abertas, que revela os países onde o cristianismo é mais difícil de ser aceito. Essa pesquisa indica que 2,5 por cento dos 774 mil habitantes do país são cristãos. Eles vivem com as pressões diárias de que estão sendo monitorados e forçados a se retratar de sua fé.

[b]Fonte: Portas Abertas Internacional[/b]