Mar de lama após rompimento de barragem em Brumadinho, Minas Gerais
Mar de lama após rompimento de barragem em Brumadinho, Minas Gerais

A plataforma de voluntariado Transforma Brasil está cadastrando pessoas de todo Brasil que querem ajudar as vítimas do rompimento de barragem da Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG).

A tragédia aconteceu nesta sexta-feira, 25, e ao menos nove pessoas morreram. Pode haver até 300 desaparecidos, segundo o Corpo de Bombeiros e a Vale fala em mais de 400 funcionários desaparecidos.

Em 24h, mais de 2.500 voluntários de todo o País já se cadastraram na plataforma.

A recomendação inicial dos órgãos de defesa civil é de que os voluntários não sigam para a área atingida pelos rejeitos da barragem, devido ao risco para a segurança.

Inicialmente, a maior necessidade é de psicólogos, médicos, assistentes sociais e voluntários para ajudar na limpeza e separação de donativos.

Mantimentos podem ser enviados para a sede da ONG E-Missão em Belo Horizonte: Rua Jaguari, 673 – Bonfim, Belo Horizonte – MG.

50 imagens que mostram a devastação em Brumadinho

A ação de emergência da Transforma Brasil é em parceria com a ONG mineira E-Missão.

Segundo a informa a equipe da Transforma Brasil, também há uma grande necessidade de doação de sangue nos hemocentros da região. Igrejas, ONGs, empresas e governos podem disponibilizar voluntários através da plataforma para ajudar nas buscas e na arrecadação de água, roupas e alimentos.

Mortos e desaparecidos

Até às 15 horas deste sábado, 26, o Corpo de Bombeiros confirmou 11 mortes. Entre os desaparecidos, estão cerca de 80 funcionários de empresas que prestam serviços para a Vale.

Das 345 que até então eram consideradas desaparecidas, 46 foram encontrados e encaminhados para unidades de saúde. Segundo o Corpo de Bombeiros, 86 famílias que estavam ilhadas já foram encontradas –duas foram resgatadas.

Cerca de 60 pessoas ainda aguardam resgate, mas estão em área sem eletricidade, sinal de telefonia e internet. Catorze equipes trabalham nas buscas. Parentes também estão cadastrando desaparecidos com a Defesa Civil.

Resultado de imagem para resgate em brumadinho

Três anos após o desastre em Mariana (MG), o maior da história da mineração, uma barragem da Vale se rompeu e pelo menos outra transbordou na sequência, em Brumadinho (MG), a cerca de 60 km de Belo Horizonte.

A tragédia aconteceu na região do córrego do Feijão, que deságua no rio Paraopeba, na Bacia do Rio São Francisco.

O Corpo de Bombeiros estima que o número de vítimas pelo acidente pode superar a quantidade de mortos de Mariana, onde uma barragem da Samarco se rompeu há três anos e dois meses. 

Os bombeiros afirmam que 299 pessoas estão desaparecidas, entre elas 80 funcionários de empresas que prestam serviços para a Vale. Outras 46 pessoas foram encontradas e encaminhadas para unidades de saúde.

Na sexta, a Vale informou que 427 empregados da empresa no local e afirmou que 150 funcionários eram considerados desaparecidos. Entretanto, neste sábado a empresa divulgou uma lista com mais de 400 funcionários com quem ela não conseguiu contato.

Fonte: UOL, Exame e Transforma Brasil