A Igreja Católica anunciou nesta sexta-feira, 21, em seu jornal oficial, “L’Osservatore Romano”, o perdão a John Lennon por ter declarado nos anos 1960 que os Beatles eram mais famosos que Jesus Cristo.

A informação veio em uma reportagem para marcar os 40 anos do lançamento do “Álbum branco” e considera a declaração “a bravata de um jovem da classe trabalhadora inglesa impressionado com o sucesso, após crescer sob o mito de Elvis Presley”.

O artigo reavalia a importância desse disco histórico após recordar seu processo de criação. “O disco nasceu quando o Fab Four estava em crise como grupo”, diz a publicação, que critica música pop de hoje. “Atualmente, os produtos discográficos são padronizados e estereotipados, muito distantes da criatividade dos Beatles”, afirma a reportagem.

Fonte: Ego