Ela é o paraíso dos católicos. Realizada no Expo Center Norte, na Zona Norte de São Paulo, a ExpoCatólica reúne tudo o que o universo dessa Igreja pode abrigar. São santinhos, velas, incensos, roupas, livros religiosos, diversos modelos de sinos, terços e até bancos usados em missas.

Entre as atrações que mais chamam a atenção, está o vinho sem álcool.

Em tempos de “lei seca”, eles são uma verdadeira “benção” aos padres que precisam rezar muitas missas por dia. No estande da Sobrietá, que distribui o vinho canônico La Dorni, até um bafômetro foi colocado à disposição dos compradores para atestar o efeito “zero álcool”.

O padre João Batista Alves, de 44 anos, degustou o vinho sem álcool. Em seguida, fez o teste. Para surpresa de todos, deu positivo. Ele riu e explicou. “É que bebi outros vinhos hoje (sexta)”. Para ele, a bebida sem álcool não deve ser usada nas missas porque não teria a mesma representação do vinho tradicional. “Para a consagração, é preciso ter o vinho com álcool. Senão, é suco de uva”.

O padre, que trabalha como capelão militar em uma escola para cadetes em Campinas, a 93 km de São Paulo, nem se preocupa com as blitze da polícia, que caçam os motoristas embriagados. “Os fiéis me levam para casa quando preciso”, conta. O produtor do vinho sem álcool Leandro Valente Simões, de 38 anos, comemora o rigor da lei, que entrou em vigor em junho e pune as pessoas que dirigem após ingerir bebida alcoólica. “A procura aumentou três vezes”.

Fonte: G1