Uma exposição em Nova York, criada para o feriado de Páscoa, contendo uma escultura de chocolate de Jesus Cristo nu, foi cancelada nesta sexta-feira devido a ameaças de morte ao artista responsável pela obra, Cosimo Cavallaro, e aos massivos protestos da comunidade católica local, incluindo a intervenção do cardeal Edward Egan.

“‘My Sweet Lord’ foi fechada pelo hotel que abriga a casa Lab Gallery”, no centro de Manhattan, disse Matt Semler, o diretor da galeria.

O hotel que abriga a galeria recebeu uma enorme quantidade de telefonemas e e-mails enraivecidos com a exibição. Semler disse que as ligações incluíram ameaças de morte ao artista Cosimo Cavallaro, que disse estar decepcionado com a decisão de cancelar a exposição.

Semler disse que ele sucumbiu aos protestos depois que oficiais do hotel Roger Smith fecharam a exposição. “Neste caso, o hotel não poderia continuar a nos apoiar pelo medo de que a segurança do local fosse ameaçada”, disse Semler.

A escultura foi vítima de “uma forte onda de protestos de pessoas que ainda não viram o show; é isso o que, aparentemente, vem acontecendo”, disse Semler. “Eles chegam a conclusões completamente contrárias às nossas intenções.”

Furiosos, católicos, incluindo Egan, descreveram a escultura como “uma coisa doentia”. Bill Donohue, chefe da Liga Católica, disse que se tratava de “uma das piores afrontas à sensibilidade dos cristãos até então”.

A obra de arte foi criada com mais de 90 kg de chocolate ao leite, formando um Jesus Cristo de braços abertos pendurado em uma cruz invisível. Diferentemente das representações religiosas, a criação de Cavallaro não inclui o manto cobrindo os quadris de Cristo.

Cavallaro, filho de imigrantes italianos, cresceu no Canadá e é conhecido por suas obras realizadas com comida. Causou comoção quando passou mussarela na parede do quarto do hotel onde estava hospedado, além de tê-lo decorado com uma cadeira feita de queijo e uma cama de presunto.

Fonte: Folha Online