Polícia
Polícia

O Ministério Público de Goiás deflagrou nesta segunda-feira (19) a Operação Caifás, contra um esquema de desvio de recursos da Cúria – administração central – da Diocese da Igreja Católica de Formosa e paróquias de outras cidades do Estado.

Um bispo, um monsenhor e quatro padres de cidades do entorno do Distrito Federal estão entre os nove presos na ação. Eles são acusados de desvio de recursos da Igreja Católica. Os religiosos teriam desviado dinheiro do dízimo, doações, taxas como batismo, casamento, entre outras, e de arrecadações festivas de dinheiro de fiéis. Os desvios podem ter chegado a R$ 2 milhões.

Ao todo estão sendo cumpridos treze mandados de prisão e dez de busca e apreensão em três municípios simultaneamente, sendo nove de prisão e cinco de busca e apreensão em Formosa; três de prisão e quatro de busca e apreensão em Posse; e um de prisão e um de buscas em Planaltina.

Segundo Ministério Público, “todos os mandados foram expedidos contra lideranças religiosas ou administrativas ligadas à Igreja Católica”.

A Operação Caifás tem a coordenação dos promotores de Justiça Fernanda Balbinot e Douglas Chegury e conta com a atuação de mais dez promotores, com apoio do Centro de Inteligência (CI) do MP-GO, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Entorno do Distrito Federal, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI-MP), além da Polícia Civil e da Polícia Militar.

As investigações se iniciaram após o Ministério Público ter recebido denúncias de fiéis dando conta que os desvios haviam sido iniciados em 2015. O MP apurou as denúncias que culminaram na operação em curso.

Promotores e policiais cumprem mandados em residências, na cúria da Diocese de Formosa, em paróquias de outras cidades e também em um mosteiro.

Fonte: CBN e Jornal do Brasil