Cerca de 330 bispos começam a definir a partir desta terça-feira, por voto, na 45ª Assembléia Geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), quem presidirá a entidade nos próximos quatro anos.

Os principais candidatos para comandar a CNBB são o arcebispo de Vitória da Conquista (BA), d. Lyrio Rocha, e o novo arcebispo de São Paulo, d. Odilo Pedro Scherer. A previsão é que o resultado saia até o início da semana que vem. O eleito tem direito a uma reeleição.

A Assembléia Nacional é o órgão supremo da CNBB e se reúne uma vez por ano. Também serão eleitos o vice, o secretário-geral e os presidentes das dez comissões que compõem o Conselho Permanente da CNBB. O atual presidente da entidade, d. Geraldo Majella, não poderá ser reeleito.

Hoje, haverá uma missa pela manhã e, em seguida, os bispos e convidados fazem a abertura oficial da assembléia na Casa de Retiros da Vila Kostka, no bairro de Itaici, em Indaiatuba (102 km de São Paulo).

Neste ano, a reunião deve contar com 334 bispos, sendo 36 bispos eméritos, além de teólogos e assessores da CNBB. A posse da nova presidência acontece antes do término da assembléia, no dia 9 de maio.

O tema principal da assembléia será “Rumo a Aparecida”, em referência à 5ª Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe, a ser realizada de 13 a 31 de maio em Aparecida (167 km de SP), com a presença do papa Bento 16.

A pauta de discussões dos bispos na assembléia também inclui uma análise dos religiosos sobre a conjuntura sócio-política do país, uma declaração oficial da CNBB sobre o momento político e debates em torno de uma campanha nacional para evangelização.

Como acontece geralmente, a assembléia deve receber uma carta de saudação do presidente da República.

Os bispos também reservaram um dia para realizar uma sessão solene de homenagem póstuma a d. Luciano Mendes e a d. Ivo Lorscheiter, ambos ex-presidentes da CNBB e mortos, respectivamente, em agosto de 2006 e março de 2007.

Fonte:Folha Online