Se um fosse formulada uma lista com o nome dos maiores evangelistas do século XX, certamente o nome de Billy Graham estaria nas primeiras posições, se não em primeiro lugar. O ministério deste líder evangélico apaixonado por Jesus Cristo resultou num ministério não menos do que extraordinário.

Com o chamado que Billy recebeu, ele pregou a Palavra do Senhor a homens e mulheres de todas as raças, educação e culturas, que, para a honra e glória de Deus, conseguiu impactar milhares de vidas ao redor do mundo.

O resultado final é uma reputação de idoneidade internacional que poucos evangelistas conseguiram. A integridade de sua imagem ao redor do mundo se cristalizou como um exemplo de homem que segue a vontade de Deus. Com o objetivo de compartilhar um pouco mais deste ministério, a editora CPAD acaba de lançar a obra “Pensamentos e Reflexões Sobre os Princípios de Vida de Billy Graham”.

A obra apresenta diversos depoimentos que viveram ou acompanharam de perto a história deste evangelista. São depoimentos que falam sobre os fundamentos que proporcionaram o crescimento do seu ministério. O livro ressalta o seu amor por Deus e pela Palavra, e compromisso pela simplicidade da mensagem do evangelho, que serviu de estrutura e suporte para cada aspecto de sua organização evangelística.

O jornalista e escritor Jerry Jenkins, que tem acompanhado a vida de Billy Graham, relata que já questionou o evangelista sobre qual seria o segredo de tanto sucesso. “Uma vez perguntei a Billy Graham porque o seu ministério tem sido tão abençoado por Deus enquanto há tantos outros ministérios lá fora que não têm o mesmo impacto como o dele. Ele respondeu que a Bíblia deixa claro que devemos orar sem cessar e que a razão pela qual seu ministério tem sido abençoado é que ele verdadeiramente faz isto. Enfim, ele ora sem cessar, e isso faz a diferença”, declara.

Já o evangelista norte-americano Leighton Ford destaca a capacidade de Billy unir pessoas de diferentes classes sociais. “Para a classe média americana, o fato de Billy ter sido capaz de alcançar pessoas muito, muito ricas até as mais pobres mostra o princípio claro de quão universal o evangelho é, e segundo, o quanto Deus pode tirar-nos de nossos ambientes e ampliar nossas habilidades e ministério”, afirma.

Ente as declarações do próprio Billy Graham está uma memorável de 1978, quando a Igreja ainda era muito fechada para os meios de comunicação, especialmente a televisão, em que o evangelista destaca que o uso de novas tecnologias seria indispensável para a propagação do evangelho no mundo moderno. “A mensagem do evangelho nunca muda. E isso acontece por uma boa razão: Deus nunca muda e nem nossa necessidade espiritual básica que anseia por Ele. Contudo, os métodos de apresentação do evangelho para o mundo precisam mudar sempre. Caso contrário poderemos atingir um estágio em que não conseguiremos nos comunicar com eficiência e, assim, nossos esforços serão em vão. Nas últimas décadas, Deus tem nos concedido novas ferramentas para realizarmos a obra. São veículos eletrônicos e visuais, como filmes, televisão, telefones etc. Cada uma destas cumpre um importante papel na expansão do nosso ministério”, constatou.

Outro destaque mostra a postura de Billy que, diante de grandes chefes de Estado, sempre se apresentou como um embaixador de Cristo. “Nunca visitei uma pessoa importante, ou quem quer que seja, sem ter uma profunda compreensão de quem sou: um embaixador do Rei dos reis e Senhor dos senhores. A partir do momento que entrava na sala, estava pensando sobre como poderia conduzir a conversa acerca do evangelho. Tive a oportunidade de discutir, primeiramente, sobre diversas coisas periféricas, mas eu sempre pensei a forma de como poderia compartilhar Cristo e sua mensagem de esperança. Faço todo o esforço possível para ser sensível as suas posições e seus pontos de vista, mas raramente saio sem tentar explicar o significado do evangelho, a menos que Deus indique com toda a clareza que não é a hora certa para esta pessoa. Ninguém nunca recusou a ouvir-me”, afirma.

Fonte: Elnet