E a chamada “Rainha do pop” já está no Brasil para apenas duas apresentações, uma no Maracanã, no Rio de janeiro e outra no Morumbi, em São Paulo.

Apesar do pouco tempo que vai ficar por aqui, sua presença já está causando grande agitação e mobilizando todos os paparazzi que não dão folga para a cantora e sua trupe.

Os camelôs também estão felizes da vida vendendo camisetas e Cd’s piratas aos borbotões. Aliás, Madonna é muito mais um produto comercial que artístico.

Acompanho a carreira dela desde o início, nos anos oitenta e uma coisa sempre, sempre me deixou abismado: como é que alguém tão sem talento consegue fazer esse sucesso enorme mundo à fora? Péssima cantora, pior ainda como atriz, dançarina só mais ou menos e nem bonita é (pode até estar bem conservada para os seus 50 anos, mas bonita….), ainda assim poucos conseguiram tanta fama na história do show business.

Nunca entendi a razão do sucesso de Madonna. Não sei até hoje o que faz tanta gente idolatrá-la de forma tão exagerada e desmedida. Lembro-me dos primeiros vídeos e das primeiras musicas de Madonna que fizeram sucesso nos idos dos anos 80, musiquinhas bem “pop”, puro entretenimento para adolescentes, nada que desse indicação do ícone em que ela iria se transformar.

Seu sucesso se deve muito aos escândalos em que ela esteve envolvida, como o casamento tumultuado com Sean Penn, ou o caso com o jogador de basquete Dennis Rodman, o video de “Like a Prayer” que chocou a igreja Católica, ou mesmo o mais recente beijo na boca de Britnney Spear. ‘Falem mal, mas falem de mim”, parece ser o lema da cantora que sempre arruma um jeito de estar nos noticiários.

Madonna, como não tem aquele talento musical de encher os olhos, depende muito de produções pirotécnicas, milhares de dançarinos no palco e arranjos ultra-elaborados para camuflar sua voz fraca e limitada, da mesma forma que depende da mística criada em torno de si, para manter o sucesso que conquistou. Eu queria mesmo era vê-la cantar uma bossa nova de Tom Jobim, só voz e violão; isso sim, não é pra qualquer um.

Sua carreira de atriz não teve o mesmo sucesso, e apesar de ter feito um bom dinheiro, jamais conseguiu ser levada à serio. A única exceção fica por conta do filme “Evita”, no qual Madonna atua como protagonista, e chegou a receber boas criticas e até mesmo um Globo de Ouro. O resto de sua filmografia não passa de uns “filmecos” de segunda categoria, como “Corpo em Evidência”, “Quem é essa Garota?”, e o péssimo “Sobrou para Você”, um dos piores filmes da história do cinema.

Além de tudo, sua vida pessoal está longe de ser exemplo de boa conduta. Promiscuidade, escândalos religiosos, violência domestica, pornografia, enfim, um pouco de tudo o que não presta pode ser listado em sua biografia. Mesmo assim, Madonna é ídolo para muita gente que mata e morre por ela e não se incomoda em ficar horas na chuva para pagar 600 reais por um ingresso.

Nada surpreendente para uma sociedade hedonista e fútil onde os valores morais estão cada vez invertidos e que encontrou na “material girl”sua mais perfeita tradição, como diria Caetano Veloso. Enquanto isso, eu continuo aqui na minha ignorância sem entender como ela faz tanto sucesso.

Um abraço,

Leon Neto