Para quem gosta de musica cristã internacional, o nome Steven Curtis Chapman dispensa apresentações. Emplacando sucesso atrás de sucesso há pelo menos vinte anos, Chapman é um artista que já conquistou seu lugar no coração de milhões de admiradores no mundo inteiro.

Pertencente à mesma geração de Michael W. Smith e Amy Grant, tem mais de 20 discos lançados, ganhou 5 Grammys, vendendo mais de 10 milhões de álbuns no mundo inteiro. Recentemente escreveu a canção original do filme “End of the Spear”, que fez considerável sucesso nos cinemas do mundo inteiro.

Seu estilo bem pessoal, é mais calcado na musica folk do que seu amigo Michael W. Smith, por exemplo. Mostrando bastante habilidade ao violão, seu instrumento predileto, Chapman usa harmonias simples mas bem construídas em ritmos vibrantes, para emoldurar suas belas melodias. Mas, seu forte mesmo são as letras, que ele mesmo escreve em boa parte de suas canções. Steven sai do lugar-comum e aborda temas mais amplos que a maioria dos compositores do momento. Sempre envolvido com obras missionárias e de ação social, o artista reflete em suas letras, temas bastante contundentes como fome, criminalidade, injustiça e relacionamento interpessoal.

Uma de suas canções mais recentes, inclusive, descreve de forma bastante lírica e tocante o momento em que sua filha ,ais velha pede para que ele ensaie a valsa que irão dançar no seu casamento, prestes a acontecer. A canção “Cinderella” se tornou um grande sucesso e virou coqueluche nos casamentos por aqui, quando leva às lágrimas metade do “mulherio” presente (bem, não só o “mulherio”; tem muito pai coruja que também não segura o choro…).

Pois é, e foi justamente na vida desse sujeito bonachão e família, que aconteceu uma tremenda tragédia há poucos dias atrás. O cantor/compositor sempre foi entusiasta e defensor da adoção e até mesmo fundou uma organização que se propõe a orientar e facilitar o processo para casais interessados. Ele mesmo, já havia adotado três lindas garotinhas chinesas, além dos outros três filhos sanguíneos. Dia desses, quando todos se arrumavam para ir a uma formatura, um de seus filhos mais velhos foi tirar o carro da garagem e não viu que uma das meninas adotivas, com 5 anos e pouco, estava brincando no quintal, e um terrível acidente aconteceu, tirando a vida da pobre garotinha.

Não é necessário dizer que toda a comunidade evangélica norte-Americana ficou extremamente abalada com o ocorrido. O acidente foi noticiado em todos os canais de televisão e as igrejas e organizações religiosas se mobilizaram, pedindo orações e manifestando solidariedade à família.

Por pedido dos familiares, o nome do filho que estava dirigindo e as circunstâncias do acidente não foram divulgadas, para não causar nenhum tipo de desdobramento ou vilificação de ninguém.

A tragédia me fez lembrar da atriz Cristiane Torloni, que perdeu um filho em circunstâncias bem parecidas, sendo que no caso dela ainda houve o agravante de que a própria estava ao volante do carro. Certamente uma situação que ninguém gostaria de passar.

Fica aqui nosso desejo de que Steven possa vir a superar algum dia a perda de sua filha querida, e continuar seu ministério que tem abençoado tantas pessoas. Pelo menos, ele sabe que sua filhinha está nos braços do Pai supremo e que em breve irá reencontrá-la, naquele dia em que todas as lágrimas serão enxugadas. Enquanto isso, estaremos orando para que essa tragédia pessoal possa ser tranformada em benção, na forma de muitas canções edificantes.

Um abraço,

Leon Neto