Foi com muita alegria que recebi um e-mail de um amigo muito querido, relatando sobre retomada das equipes de treinamento dos Vencedores por Cristo. Se você nasceu na década de noventa, provavelmente não deve estar tendo a menor idéia do que eu acabei de falar, não é?

Infelizmente a geração atual não tem conhecimento algum, sobre o que Vencedores por Cristo representa para o meio evangélico brasileiro. Independente de estilo ou linha teologica, é inegavel a importância que esse ministério desempenhou no desenvolvimento da música cristã contemporânea no Brasil.

Vencedores por Cristo,começou no final da decada de 60, sob o comando de Jaime Kemp, um missionario americano, recém formado em teologia e ligado a SEPAL (Servico de Evangelizacao para a America Latina). A idéia inicial era formar um grupo de jovens universitários, que receberiam treinamento durante os mêses de férias. O enfoque principal era o discipulado; a música inicialmente, entrou como simples ferramenta de evangelização e como meio para edificação.

Mas, não demorou muito para o Pr. Jaime Kemp perceber a carência das Igrejas brasileiras da época em relação à musica jovem, e passar a enfatizar mais o lado musical do ministério.

As primeiras músicas gravadas pelo grupo eram quase que exclusivamente versões em português de canções americanas, a maioria advinda do chamado “Jesus movement”, fato este bastante compreensível, já que naquele tempo ninguém no Brasil estava produzindo qualquer tipo de música contemporânea nas igrejas evangélicas. O que predominava eram os hinos tradicionais, quartetos masculinos e musica coral, de forma geral.

Os vencedores então, começaram a mostrar a validade de se investir na juventude, e usar uma liguagem mais accesível e moderna. Apesar de algumas reações intransigentes dos “diáconos de plantão” (sempre eles…), o grupo foi gradualmente conquistando a simpatia e aprovação das Igrejas evangélicas tradicionais. São dessa época alguns clássicos como “Nas Estrelas”, “Se eu Fosse Contar” e “Novos Caminhos”, por exemplo.

Pr. Jaime ficou por 10 anos à frente do ministério e depois da sua saída o grupo migrou para um estilo bem mais abrasileirado e particularmente com o disco “De Vento em Pôpa” (1977), mudou os rumos da música cristã jovem no Brasil. “De Vento em Pôpa”, na minha opinão é o disco de música evangélica mais importante da história da industria fonográfica brasileira. Pela primeira vêz, e de forma brilhante, foi produzido no país um trabalho usando exclusivamente ritmos nacionais e arranjos que muito se aproximavam da riqueza da MPB.

Quem viveu aquela época sabe a diferença que o disco (em vinil, por sinal), fêz para a juventude evangélica brasileira.

Passamos a não ter mais medo de usar elementos da nossa cultura para expressar nossos sentimentos e louvores a Deus, passamos a ter finalmente voz para expressar nossos anseios, através daquelas músicas profundas e contagiantes. Eu mesmo passei a me interessar por música brasileira em grande parte, através desse disco. Na epoca eu só queria saber de “discoteque” ( oh, como estou ficando velho…) e de música americana; mas, quando ouvi os primeiros acordes da faixa titulo do Lp, fiquei estupefato e não conseguia acreditar que se tratava de um disco de musica evangélica.

Após “De Vento em Pôpa” vieram mais outros vinte a tantos discos que continuaram impactando nosso jovens por diversas gerações. Particularmente importantes são os discos da serie “ Louvor”, responsavel por introduzir nas igrejas dezenas de cânticos congregacionais, na época chamados de “corinhos”.

Mas, o que realmente fez toda a diferença no ministério de Vencedores por Cristo, nem foi tanto o legado musical, ainda que muito importante; o que de mais importante o ministerio fez nesses mais de 30 anos, foi o treinamento, discipulado e capacitação de centenas de jovens que passaram por suas equipes e depois voltaram para as igrejas locais, disseminando os conceitos doutrinários sobre louvor e evangelismo, sobre comunhão com Deus e com os irmãos, amor ao próximo, paixão pelas almas perdidas, humildade e compromisso com o Reino.

De forma bastante diferente do “Glamour” que os artistas evangélicos desfrutam hoje, as equipes de Vencedores saiam pelo Brasil à fora de carro, ônibus, ou mesmo boléia de caminhão, indo aos mais distantes rincões do país, para dar aos jovens em treinamento a oportunidade de viver na prática o que tanto ouviram nos estudos Biblicos. Sem ostentação nenhuma e muitas vezes dormindo no chão ou dentro dos carros, esses jovens vivenciaram um evangelho bem próximo do que os apóstolos experimentaram, indo de “vila em vila, cidade em cidade”. e voltavam para suas Igrejas preparados para continuar seus ministérios, cheios de entusiamo. Vencedores por Cristo fez e ainda faz muita diferença na vida dos jovens que ouviram e cantaram suas músicas, mas também nos que participaram de suas equipes.

Por isso fiquei tão alegre com a noticia de que após quase 10 anos de hiato, as equipes de treinamento de Vencedores por Cristo serão reativadas. A primeira já está em pleno funcionamento no nordeste, mais especificamente em Recife, sob a direção de meu amigo Samuel Tito. As informações que recebi dele, são de que tudo tem corrido muito bem e que as primeiras apresentações foram acima do esperado. A primeira viagem missionaria já está agendada para julho deste ano.

O mais importante, é saber que o mesmo cuidado com o treinamento e discipulado que as primeiras equipes tiveram, continua sendo a tônica do ministério. Certamente algo que precisamos no momento atual da musica cristã brasileira, tão envenenada por estrelismos, falsidade, ganância e hipocrisia. Passo a reproduzir aqui, um trecho da carta que mostra bem o espirito do grupo:

“Ao mesmo tempo em que queremos agregar novos componentes, já temos uma saudade imensa de cada um dos 7 pioneiros que tem abençoado imensamente a mim, a Naná, a Muca, a Thamarzinha, a Uassyr e a Lú, neste desafio de retomada das equipes. Sabemos que alguns deles não poderão compor a 2ª equipe, mas sabemos também que voltarão às suas igrejas como multiplicadores… e o propósito é justamente este: conviver intensamente com o músico por um tempo, dividir (na prática) com ele um pouco do que o Senhor tem ensinado a Vencedores sobre adoração, e permitir que ele volte para servir em sua comunidade com uma vida ainda mais próxima do Senhor.”

Se você quiser saber mais ou mesmo se envolver com Vencedores por Cristo-Nordeste, pode entrar em contato atraves do e-mail: samueltito@gmail.com

Um abraço,

Leon Neto