O ano novo começou agitado para a “Abelhinha de Cristo”. Depois de uma pequena pausa para as festas, Cristina Mel voltou a divulgar seus mais recentes CDs, o adulto “Uma Nova História” e o infantil “Cristina Mel e os Vegetais”, com shows por diversos cantos do Brasil. (Fonte: [url=http://www.universomusical.com.br]Universo Musical[/url])

Entre outros lugares, a carioca esteve em Recife, onde participou da feira Expo Gospel, São Paulo e Brasília. No final de janeiro, voltou para o Rio, onde deu início a merecidas férias.

“Ninguém é de ferro, não é?”, brinca a cantora, que vinha divulgando os dois discos simultaneamente. “São públicos diferentes, mas todos nós somos crianças.”

A mudança na diretoria da Line Records, ocorrida no fim de 2006, não afetou a carreira de Cristina Mel. Ela já faz planos para um novo disco pela gravadora, que pode ser seu segundo DVD para o público adulto.

“Estou pensando no assunto, mas vou aguardar mais um pouco para contar os detalhes”, diz Cristina.

No momento, a cantora prefere falar de “Uma Nova História”, seu 34º disco em 16 anos de carreira. O título do CD, lançado em setembro do ano passado, faz jus às mudanças na vida pessoal e profissional de Cristina Mel, que comemora o retorno à Line Records e o bom relacionamento com o segundo marido, o dentista Isaías Costa.

“Este CD representa tudo novo em minha vida e ao mesmo tempo uma volta ao começo, quando gravei canções graves e agudas, de um jeito bem pop. É um álbum rico em estilos – adoração, pop, romântico, pentecostal – e cheio do conteúdo de Deus”, explica.

DVDs infantis

O ano de 2006 marcou a estréia de Cristina Mel no mercado de DVDs infantis. Embora tenham sido gravados em épocas diferentes, os discos “Tempo de Ser Criança” (Clevan Music) e “Cristina Mel e os Vegetais” (Line Records) foram lançados quase simultaneamente.

Mas não é apenas a data que difere os discos; cada um possui características técnicas e musicais particulares. Em comum, além da intérprete, eles têm o fato de levar o mesmo nome e repertório dos CDs que os originaram.

Gravado em 2005, um ano após o CD homônimo, “Tempo de Ser Criança” é uma grande história na qual as músicas (todas em playback) parecem videoclipes. Crianças e personagens animados acompanham Cristina Mel nas 11 primeiras faixas. A 12ª e última é uma homenagem emocionante da cantora à avó, dona Maria, que estava viva quando o CD foi gravado mas morreu antes de ver o DVD pronto. A música tem a participação vocal e teatral de Jayane, filha de Cassiane e Jairinho Manhães.

As canções e as imagens de “Tempo de Ser Criança” revelam um trabalho didático, feito para crianças bem pequenas, que estão aprendendo os princípios básicos da vida e da fé.

Cristina Mel apresenta uma proposta visual ousada, mas esbarra nas limitações da pequena gravadora Clevan Music. As dificuldades com o vídeo, porém, são contornadas com a boa qualidade do áudio, como prova a faixa “A Força de Deus”, que traz um show à parte do guitarrista Pablo Chies.

Já “Cristina Mel e os Vegetais”, registro de um show feito no Teatro da Rede Record, no Rio, tem outra proposta: divertir. É claro que há mensagens cristãs, mas as músicas, cantadas ao vivo sobre playback, parecem brinquedos saudáveis para crianças de todas as idades.

Com o suporte da Line Records e da empresa Big Idea, dona da marca Os Vegetais, somado à competente produção musical de Wagner Carvalho, Cristina Mel gravou um disco muito divertido. A interação da cantora com os personagens é ótima, assim como o cenário e as coreografias. Somente a iluminação falha em alguns momentos, deixando as imagens lavadas. A ausência de extras também é sentida.

Fora isso, só resta curtir músicas animadas como o funk melody “Melzinha Abelhinha”, o rap “Perna, Dedo, Mão”, o axé “Deus É Fiel” e o gospel americano” Louve”, versão para “Shout”, que foi tema do filme “Mudança de Hábito”. O momento mais reflexivo fica por conta de “Eu Te Amo, Senhor”, com a participação de outra filha de cantora famosa: Isabela, herdeira de Jozyanne.

Fonte: [url=http://www.universomusical.com.br]Universo Musical[/url]
Por Marcos Paulo Bin